Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Escreve sobre a Lua...

Esta Lua é de 2 de Agosto de 2007, em Albufeira, no Algarve.
Gosto de Luas Cheias.
Gosto de Luas Cheias de Verão, de calor e de côr.
Gosto de Luas Cheias de Inverno, brancas e frias.
Gosto de Luas Cheias que dão boas ondas no Mar.
Gosto de Luas Cheias que nos dão luz quando estamos na escuridão.
Esta Lua é para ti.

domingo, 29 de junho de 2008

"Ser Filho Único é uma SECA"

foi a frase do pequeno-almoço de hoje...coitadinho...está mesmo à toa!





Estantes

Comecei!
Deitei mãos aos livros e ao teclado e comecei a fazer o que ando para fazer há anos: um inventário dos meus livros.

Ainda não passei dos cinquenta títulos, mas pelo menos já comecei e está a dar-me imenso prazer. Já todos sabem que sou apaixonada pelos meus livros, mas esta coisa de lhes mexer, de me relembrar do que cada um deles me contou e o que me me fez pensar é muito agradável!

E encontrar papéis e marcadores de livros lá dentro...e desenhos feitos pelas crianças...e o meu nome e a data em que comprei ou que me ofereceram...

É bom!

Porque hoje não sei o que escrever...


sábado, 28 de junho de 2008

Filho Único, temporariamente


Ontem lá conseguimos chegar à hora marcada pelos Avós ao aeroporto!

Com imenso calor, com imenso stress, com malas e pranchas embrulhadas em papel filme.

Os Avós já lá estavam, na porta de embarque, à espera.

Beijinhos, abracinhos, recomendações, porque isto de estar com os Avós não é a mesma coisa que estar com os Pais e uma gravação de Parabéns a Você no telemóvel do Pai para o outro Avô que não vai ter cá estes netos no dia em que se despede dos 70!
Ficámos sozinhos com o nosso benjamim. O nosso benjamim ficou sozinho conosco. Triste. Ainda não tínhamos saído do Parque de Estacionamento do aeroporto e já chorava porque ia ter saudades dos manos.
Hoje, as refeições deixaram de ter 6 pratos na mesa e passaram a 3.
Sabe-nos bem o descanso que vamos ter durante estes dias, mas não fomos feitos para o silêncio e a quietude de um filho único!

sexta-feira, 27 de junho de 2008

À Roda do João Maria


Peguei na imagem que a Ka publicou e pu-la aqui.
Para que todos se manifestem contra a atitude da Médis relativamente a uma operação que o João Maria necessita de fazer e que o seguro não quer cobrir, porque o João Maria tem Trissomia 21.
Parece-me inacreditável que possa haver atitudes destas no séc. XXI, mas existem, infelizmente!
Precisamos de inundar este endereço de correio uac.medis@millenniumbcp.pt com o nosso desagrado. Pelo João Maria e por todos os que podem vir a precisar e a ouvir que Não...

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Na FNAC os namoros

de livros são infinitos...perco-me naquelas prateleiras, naquelas estantes.

Fui lá agora, à noite, com as quatro crianças.

Uns não passaram da zona de jogos, outros acompanharam-me aos livros.

Ali estivemos três, a namorar infinitamente o que por ali havia exposto.

O propósito da nossa presença era comprar o presente de aniversário da Avó!

Como sempre, não consegui resistir ao chamamento de páginas ainda lisas, de cheiro ainda tão forte!

Trouxe comigo, para mim

Dum lado e doutro de mim

Quando, de vez em quando, tenho tempo para me pensar encontro-me com muitos opostos e contradições.

Não sei se isto acontece às outras pessoas, mas a mim acontece-me muito e faz-me pensar se serei normal.

Sou obcecada por um Continente onde nunca estive. Pelo espaço, pelo calor, pelas chuvas súbitas, torrenciais, pelo mar Índico. Tenho em mim a vontade de partir para lá. O meu lado solidário é aguçado pelo conhecimento das necessidades que existem em África. Gostava de poder integrar um grupo de voluntários na área da educação ou da saúde infantil.


Por outro lado, tenho uma vontade muito grande de conhecer Nova Iorque. Civilização completamente diferente, espaço completamente diferente. Até nem sou muito fã da América, por razões que não cabem aqui, mas à medida que vou lendo e vendo, convenço-me que a América é um continente que respira uma liberdade que na Europa nunca conseguiremos atingir. Hoje li um artigo que me deu ainda mais esta sensação de que iria gostar de conhecer a América, PED XING.

Para além do que vem descrito neste artigo, tenho a ideia de que o povo americano é um povo solidário. Agrada-me a simplicidade da oferta de boas-vindas quando se tem um vizinho novo. Agrada-me a ideia dos Pais serem naturalmente presentes nas actividades das Escolas e nas Associações de Pais. Agrada-me a ideia de facilmente se organizarem garage sails para nos livrarmos das tralhas que vamos acumulando nas garagens/arrecadações.
Este é só um exemplo de que em mim vivem duas pessoas diferentes. Existem mais...para outro post...




Sonho

Fui fabricada neste país, em 1964.
Vim nascer a Portugal em Outubro de 65.
É talvez o único sonho que me persegue desde criança - conhecer o país onde fui fabricada e de onde me sinto natural.
A minha forma de estar, de sentir e de ver os outros é, para quem conhece África, tipicamente africana.
Nunca lá estive, só na barriga da minha Mãe, mas sinto-me tanto de lá...
Hei-de lá voltar!







quarta-feira, 25 de junho de 2008

Energias, diferentes graus de energias!


Eu faço um esforço para não me ir "abaixo"!

Acreditem que sim, mas estou num estado tal de cansaço mental que só gostava mesmo de poder desaparecer por uns tempos, recarregar as minhas baterias e regressar em alta voltagem!


Quando fiquei grávida pela primeira vez, desejei imenso ter uma rapariga. Tinha aquele sonho dos vestidinhos, lacinhos, penteados, enfim...ter uma boneca de carne e osso. O x e o x fizeram-me a vontade. Lá se juntaram os dois no tempo certo e trouxeram-me uma miúda que quando nasceu era tão feia e se fez tão bonita!


Quando fiquei grávida pela segunda vez, desejei um rapaz. Para mudar o género, para experimentar a sensação da diferença entre rapazes e raparigas. Mais uma vez o x e o y me fizeram a vontade e trouxeram-me o primeiro M.M. que cedo se revelou um doce, mas também a energia pura!
A seguir começou aquela fase IDIOTA "Que sorte, um casalinho!" "Ai, que bonito, uma menina e um menino"... Eu detesto pirosices, mas detesto mesmo! Decidi e convenci, que não podíamos ficar por ali e tínhamos que continuar a produção!


Quando fiquei grávida pela terceira vez, desejei outro rapaz. A experiência do primeiro M.M. era boa, os rapazes são realmente especiais para as Mães e eu sei que não teria paciência para ter mais mulheres em casa. X e y voltaram a portar-se bem e lá veio o segundo M.M. Diferente do primeiro, gordinho, bem disposto, calmo e sereno. Querido de morrer!


Deixei de trabalhar tinha ele um ano e meio. Não fazia sentido no nosso projecto de vida. O meu/nosso gosto de ter uma Família Numerosa passava também pela ideia de ter a Mãe em casa, mais disponível para eles.


A minha maluqueira por bébés é grande! Muito grande mesmo!


Quando fiquei grávida pela quarta vez, já a C. tinha 10 anos e desejava uma mana, algo que nunca acontecera das outras vezes. Então, fomos alimentando a esperança de ter outra rapariga, correndo o risco de ficar com "dois casalinhos pirosos" ou de voltar a engravidar :-)! Mas o x e o y tiveram mais juízo e trouxeram o terceiro M.M.. A C. chorou quando soube, na ecografia. Para nós foi pacífico. No fundo, eu "sabia" que ia ser outro rapaz! Aí chegou o terceiro M.M. muito parecido com o primeiro!


Isto tudo para dizer o quê?
Que continuo a sentir-me contente por ter tido mais rapazes que raparigas, porque sei que não iria ter a sorte de ter mais meninas como a Menina cá de Casa, mas que o meu nível de energia está nos limites...
Os rapazes são realmente especiais, mas a energia que têm, que necessitam dispender e que nos obrigam a dispender é Brutal! Uma casa cheia de rapazes é uma casa de barulhos, lutas, gritos e corridas!


Estou mesmo a desejar ficar sózinha com o M.M.3 durante uns dias! Para descansar e recarregar baterias.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Relógio da minha Vida

Este relógio pertence à minha vida, desde que nasci.
O sítio dele era na cozinha da minha Avó Materna, na parede, por cima do balcão onde estava a caixa do pão.
Foi para esta casa que fui quando nasci, foi nesta casa que passei maior parte da minha infância, adolescência e fase adulta jovem. Foi desta casa que saí para casar e foi nesta casa que vim recompor-me do meu primeiro parto.
Este relógio toca horas e meias horas, o som dele faz parte dos "meus" sons!
Quando a minha Avó partiu, foi a única coisa que pedi à minha Mãe, o Relógio da Avó.
Há 11 anos que ele toca nas paredes das minhas casas. Na casa anterior a esta, no hall de entrada. Nesta, na mesma parede em que estava em casa da minha Avó, entrando a cozinha, à esquerda.
Dentro deste relógio, destas badaladas, está um bocadinho da minha Avó querida!

A outra minha paixão,


para além dos Livros, é a paixão pelos Relógios.



Swatch, sempre!


Não sei porque é que tenho esta pancada, mas a verdade é que se há adereço sem o qual não saio de casa, esse adereço é o relógio.


Recebi o meu primeiro relógio quando fiz 10 anos. Lembro-me como se fosse hoje, estavamos em Coimbra e os meus Pais compraram-mo lá! Rapidamente o troquei por um Cauny do meu Pai, maior, mais giro! Ainda hoje, prefiro os "matacões", como diz a minha Mãe!


Passei uma fase em que usava dois no mesmo pulso, sempre a condizer com as cores da roupa. Havia pessoas que me olhavam de lado e chamavam maluca, havia outras que quando me viam só com um já estranhavam!


Há cerca de quatro anos fui assaltada, primeiro o carro, na praia, depois a casa.


De tanta coisa que havia para levar, a minha colecção de Swatch, na altura 32 relógios, quase todos edições e embalagens especiais, desapareceu. :-(


Durante um tempo não voltei a usar relógio em sinal de luto pelos meus relógios desaparecidos.


O luto já foi feito, a colecção reiniciada e o gosto pelo uso deste objecto fashion também!


segunda-feira, 23 de junho de 2008

A propósito de roupa feita à medida...


Ler o post de hoje do Ares da Minha Graça, fez-me lembrar os meus tempos de ida à modista.

Era ali na Almirante Reis, acima da Pastelaria Pão de Açúcar, dois ou três quarteirões acima da casa da minha Avó. Quando íamos, íamos quatro "clientes" - a minha Avó, a minha Mãe, Eu e a minha Irmã.

Lá se tiravam medidas, escolhiam modelos nos figurinos (era assim que se chamavam as revistas com imensos vestidos, blusas, saias, calças...), provava-se, sofria-se, por vezes, com espetadelas de alfinetes.

Esta modista, a D. Dionísia, tinha nas traseiras de sua casa um quintal com árvores de fruto. Quando as provas acabavam, tínhamos direito a sacos de plástico (daqueles que não faziam barulho!) cheios de ameixas. Umas pretas, outras amarelas, todas deliciosas.

Contradições...


Tantos meses à espera de Sol e calor.

Tantos meses a sonhar com a minha praia.

Agora chegou o Verão, o Sol, as férias da criançada e não me apetece começar com o ritual da praia.

Será que estou boa da cabeça?

Acho que não!

Coisas de Verão que não são Fixes :-(


Fui atacada por um bicho qualquer!

Começou na sexta feira, na varanda dos meus Pais, enquanto tomava conta das brincadeiras de rua. Não sei lá porque arte mágica (a C. diz que o bicho entrou pelos rasgões das calças de ganga) fui atacada em dois lugares diferentes da perna esquerda.

Ontem, quando dei por isso, já tinha também mordidas na perna direita em sítios distintos.

E o pior é que não foram umas mordidas de carinho, mas sim de raiva! Tenho as pernas inchadas nos sítios em que fui mordida...

Nem tudo é perfeito no Verão :-(

E começaram as Férias Grandes...dos Meninos, claro!

A C., Feliz, como só ela sabe ser!


O M.M.1 e o M. M.2 a pensarem que o skimming vai ter que esperar :-)


O M.M.3 coberto por areia, desdentado (foto do Verão passado) :-)








domingo, 22 de junho de 2008

Ares da Minha Graça

Ares da Minha Graça é um dos blogues que leio todos os dias.

Conheci-o na Rádio Comercial na rubrica O Meu Blog dava um Programa de Rádio e fiquei fã do que ouvi. Passei a lê-lo. Sempre que sinto que devo, comento-o!

Este Blog, escrito por uma Mulher, tem textos lindos de morrer. Textos que se leêm com prazer e que se sente serem escritos com muito prazer. Às vezes, quando os leio (normalmente depois da meia-noite, logo a seguir a serem publicados) penso que gostaria de ter o dom de escrever assim, de ter a imaginação necessária aquele tipo de escrita. Sei que não tenho!

A autora deste Blog também me lê e comenta. Não nos conhecemos mas fiquei contente quando percebi que também ela me vem espreitar e comentar!

Hoje quando lá fui ao Blogobairro onde Ela reside percebi que o meu cantinho foi adicionado à lista dos Favoritos! Fiquei tão contente, tão orgulhosa, tão cheia de baba!

E eu que até estava um bocadinho triste porque num dos últimos posts deste Blog havia uma referência aos posts que falam de amor, de paixões, de emoções mais pessoais que são transmitidas para este papel global...e eu, senti-me um bocadinho tocada, porque eu gosto de escrever sobre emoções, é uma forma de as exorcisar, eu preciso disso! Pensei, "hum, ela acha piroso o que eu escrevo"...

Por isso, hoje este Post é para Ela. Para lhe agradecer a amizade que se vai construindo por aqui!

... porque sim!


"Apenas porque sim.

Penso e não encontro razão.

Escuto o meu coração.

E esse, diz-me...... porque não?", Blog dos Cinco, Kat

Abril/Maio, 2008

sábado, 21 de junho de 2008

Brincar, na Rua!

É cada vez mais raro verem-se crianças a brincar na rua.
Os tempos estão complicados, (ou nós é que os complicamos), cada vez há mais carros, menos passeios disponíveis, menos crianças.
Por aqui, por onde vivemos, ainda há sítios onde é bom brincar na rua e onde se juntam os "caganitos" todos para jogar à bola, andar de skate ou trotinete, correr e saltar.
Ontem tive o prazer de poder estar umas horitas a observar a gente miúda que se juntou para brincar. Basta aparecer um com uma bola, ou um skate, ou uma bicicleta. De repente são imensos e as gargalhadas e os risos de contentamento ecoam na vizinhaça!
Continua a ser bom brincar na rua!
:-)

verão que já chegou o Verão!


Aí vem ele!
Está a chegar!
O Verão, estação.
Adoro o Verão. Deve ser porque partilha comigo as quatro primeiras letras do seu nome, porque me lembra férias de adolescente com praia até não haver mais Sol, amigos até não haver mais espaço no toldo, brincadeiras de rua e bicicletas pela noite fora.
Adoro o Verão porque fui fabricada num país quente, enorme, com espaço a perder de vista e mar maravilhoso. E eu adoro Mar!
Adoro o Verão porque adoro não ter que me encher de roupa, camisolinha, camisola, camisolão. Não gosto de me sentir uma verdadeira cebola cheia de peles em camadas!
Adoro o Verão porque adoro andar descalça, por todo o lado. Os meus pés choram por chinelos e por sentir o chão e a areia durante os meses penosos de Inverno estação.
Amanhã quando acordarem, abram as janelas! Deitem a cabeça de fora e respirem fundo! Aproveitem bem o dia mais longo do ano e verão que já chegou o Verão!
;-)

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Escalmorreira

Ouvi esta palavra hoje, pela primeira vez.

Estava por aqui a conversar com um primo que tenho a trabalhar numa Ganadaria no Alentejo e comentavamos o calor que chegou para receber o Verão que chega amanhã, quando ele se saíu com esta...

- Aqui está uma escalmorreira!

Achei bem engraçada esta maneira de adjectivar um calor seco, irrespirável!

Peguei no me dicionário que geralmente está aqui ao pé do teclado e procurei tão curioso vocábulo. Não consta!

- Deve ser tipicamente alentejano, pensei eu.

Perguntei logo ao meu primo se ele sabia a origem da palavra, ao que ele respondeu...

- Não sei a base do vocábulo, a malta usa isto aqui. Talvez tenha como base a calma. Pois aqui não se diz "está muito calor" diz-se "está muita calma", calma....escalmorreira.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Que alívio...

Perdoem-me os que são realmente fãs de futebol!
Portugal perdeu com a Alemanha.
Os Alemães disseram que Portugal era uma equipa muito forte, mais forte que a deles!
Eu fico triste. Tenho pena que tenhamos perdido, se somos melhores, mas fico contente por mim.
Se continuassemos no Euro, eu ia continuar nestes belos serões de cerveja, amendoins e batata frita e isso seria trágico! Na balança, na barriguinha, no espelho e no bikini!
A Selecção ama-me e sabe que eu não poderia passar por essa provação!
PS - eu disse que não voltaria a escrever sobre futebol, mas teve que ser!

O de orgulho, V de vaidade!

São estas as duas letras que invadem o meu espaço cerebral quando penso nos meus Filhos, mas dedico-as hoje, em especial, à
Menina cá de Casa.

A Menina cá de Casa faz hoje exame de Geometria Descritiva. Diz ela que está cheia de medo e eu acredito, embora nela seja muito difícil dizer quando existe stress a invadi-la, porque ela não é dada a essas coisas (não sai à Mãe!).

A Menina cá de Casa foi filha única durante três anos certinhos e a partir daí foi sempre a "mais velha", ainda por cima tendo só rapazes a seguir a ela!

A Menina cá de Casa entrou no 1º ano e está a terminar o 11º, sem que tenhamos tido sobressaltos, preocupações ou necessidade de atenção especial. Quase não demos porque tudo se passou, porque para ela tudo foi "easy & cool".

A Menina cá de Casa sempre teve aptidão especial para os trabalhos manuais e quando no 10º ano teve que optar, foi sem qualquer problema que a aconselhei a escolher a Área que para ela era a preferida - Artes (apesar de muitos avisos exteriores de que "era uma área sem saídas profissionais").

A Menina cá de Casa namora há já um ano e terminou este ano lectivo no Quadro de Excelência da Escola, mostrando que o namoro não lhe retirou a atenção nem a capacidade de "dar conta do seu recado".

A Menina cá de Casa tem vindo a revelar-se uma excelente ajuda e companhia para a Mãe, em todos os sentidos!

A Menina cá de Casa merece, por tudo isto e muito mais, que hoje todos pensemos positivo durante as três horas em que ela vai estar fechada a prestar provas dos seus conhecimentos em GD.

Eu acredito que a Menina cá de Casa vai ter uma grande nota, mas isto são O. e V. de Mãe!

Aprendizagens

O M.M.3 está a terminar agora o 1º ano de escolaridade, está na fase de ler tudo, de querer saber como se escreve tudo, de soletrar para lhe dizermos se acertou ou não.
No meio deste processo, apareceu cá em casa um Abecedário Gestual Português que tem feito as delícias do rapaz!
A C. domina esta forma de linguagem porque do 5º ao 9º ano teve dois colegas surdos-mudos, portanto é ela a companhia do benjamim nas aventuras da conversação gestual.
Eu, delicio-me a observar aquela coisa branca, loura e pequena, com as suas mãozinhas de 7 anos a "escrever" palavras no ar e...a saber escrevê-las!

quarta-feira, 18 de junho de 2008

E para terminar...

acho que o meu ferro de engomar se avariou!

Tendo em conta o volume de roupa que existe sempre para engomar nesta casa, o melhor é começar já a fugir e a fazer de conta que nem estou a ver o monte a crescer!
Vou ficar privada de uma tarefa doméstica tão dignificante para qualquer dona-de-casa que se preze... ;-)

Indecisões, parte II

Pronto! Como não posso seguir o conselho do Peninha e simplesmente não me vestir, lá voltei eu à "farda" - T-Shirt e calças de ganga bem rotas!

Distribuí os "Grandes" pelos sítios onde iam ficar e pensei que o melhor que tinha a fazer numa manhã de tão grandes indecisões seria ir até à FNAC tocar e cheirar uns belos livrinhos...

A Kat está sem saber o que há-de ler e, pensando nela, lá estive eu a vasculhar livros, livrinhos e livrões, esperando que a minha indecisão se esfumasse perante tanta literatura e viesse uma inspiração divina (isto porque O Segredo está em alta por estes dias) que me aconselhasse na compra de uma leitura para lhe oferecer.

Tirei livros e voltei a arrumar. Cheguei a andar com dois ou três nas mãos, mas sabendo que a indecisão dela quanto ao que ler também é grande (se calhar é do mesmo signo que eu...), acabei por vir de mãos a abanar e com pena de não ser mais abastada, porque se assim fosse teria sabido o que trazer.

Agora riam-se...saí da FNAC e entrei no hipermercado mais próximo...Feira do Livro.

Acabei por comprar um livro, para mim e não para a Kat, Kafka à Beira Mar.

Espero que ela me perdoe, mas em dias de indecisão a minha cabeça fica mesmo alterada!

Crescidos

Há dias em que caio em mim e vejo como os meus Filhos estão a ficar crescidos.
Ontem foi um desses dias.
:-S

Indecisões

Há dias assim.
Em que tudo parece ser uma decisão difícil (agora, por exemplo não me decidia em que i se punha o acento).
Hoje é um desses dias. Estou sem saber sobre o que escrever.
Também foi tarefa árdua decidir o que vestir...
- Mãe, não tavas já vestida e pronta?
- Sim, mas não me "soube" bem aquela roupa...
- :-o (surpreendido a olhar p'ra mim)

terça-feira, 17 de junho de 2008

Planos



Durante duas semanas vou ser Mãe de Filho único.

Estranho!

Os outros três vão de férias com os Avós.

Estranhíssimo!

Eu, que passo a vida a dizer que estou farta deles, já estou por aqui a congeminar como vou conseguir passar sem eles e como é que o M.M.3 vai conseguir passar os dias sem os seus Manos! A C. ontem perguntou-me se eu já sabia o que ia fazer sózinha com o "canocha"...

Bem, para além de ir à praia, espero conseguir começar a inventariar os meus Livros e fazer uma selecção de roupa que já não serve.

O plano dos Livros é ousado...quero fazer um ficheiro Excel onde vou registar tudo. Vou começar pelos meus livros e depois passar para os Infantis!

O plano da roupa vai ser uma seca para o M.M.3 que vai ter que vestir e despir para avaliarmos o que serve e o que será para dar.

Para já, estes dois planos estão assinalados no cronograma de duas semanas.

Se me lembrar de mais alguma coisa interessante, direi.

Vício

Só agora me consegui ligar.
Já estava a desesperar.
A sério!
Sabe-se lá porquê, o meu computador decidiu bloquear o acesso ao IP (palavras da assistente da Netcabo que me ajudou).
Como sempre, cheguei aqui pouco depois das 8 da matina. Para ligar o computador, ler os Favoritos - Blog dos Cinco; BelitaRainhadosCouratos; Ares da Minha Graça; Sogras, prozac e muito mais -, escrever as minhas primeiras linhas do dia, ligar o MSN...não consegui fazer nenhuma destas coisas. Fiquei logo a bater mal. Eu sei, sou internetodependente, mas não me importo.
Respirei fundo, tratei de pequenos almoços, de lanches para levar para a Escola, de tirar roupas para hoje.
Quando saíram, liguei para a TVCabo.
Assim que liguei, apareceu uma gravação a dizer que havia uma avaria na zona do Estoril. Fiquei um bocadinho mais aliviada, mas à mesma preocupada. Não me apetecia passar o dia todo sem esta minha companhia :-(.
Lá me atenderam. Lá fiz tudo o que me iam dizendo para fazer. Nada. O Assistente Netcabo concluíu que o problema seria do meu computador e não do serviço.
Pronto, não o desmenti, porque este computador, único com acesso à Net cá em casa, é mexido por toda a espécie de mãos, dos 42 aos 7 anos...tudo pode acontecer a um pobre computador que tenha esta utilização!
Desliguei-o.
Tirei-lhe a bateria.
Fui aspirar e fazer camas.
Voltei para o pé dele. Voltei a por-lhe a bateria. Religuei-o. Morta a ligação.
Voltei a atacar a Netcabo.
Nova Assistente. Proposta de utilizar o serviço de microinformática da TVCabo, €10. Disse-lhe que não.
Voltámos a executar todos os passos já executados anteriormente.
Conseguimos que a ligação à Internet se restabelecese!
Suspirei de alívio!
Ia ter Internet e assunto para o primeiro post de hoje...estava sem imaginação!

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Vertigem, José Luís Peixoto

somos tão novos e estamos tão perdidos, o teu silêncio
dentro dos gritos das árvores, o meu silêncio sobre o
entardecer. seria feliz se pudesse dizer-te: vem,
vamos fugir de mãos dadas, amor.

Nova Semana

2ª feira

Início de uma nova semana, após um fim de semana em que me parece que só dormi e vivi como num sonho.

Hoje chove, o céu está cinzento.

Tenho dois M.M.s cheios de tosse e a pedirem sessões de aerossol.

Tenho uma C. empenhada em estudar Geometria Descritiva até à exaustão para conseguir uma nota Fantásica no exame na próxima quinta feira.

Tenho-me a mim, ainda meio adormecida.

Tenho-me a mim.

domingo, 15 de junho de 2008

Sputnik, Meu Amor


"Na primavera dos seus vinte e dois anos, Sumire apaixonou-se pela primeira vez na vida. Foi um amor intenso como um tornado abatendo-se sobre uma vasta planície -, capaz de arrasar tudo à sua passagem, atirando com todas as coisas ao ar no seu turbilhão, fazendo-as em pequenos pedaços, esmagando-as por completo. Com uma violência que nem por um momento dava sinal de abrandar, o tornado soprou através dos oceanos, arrasando sem misericórdia o templo de Angkor Vat, reduzindo a cinzas a selva indiana, tigres e tudo, para depois em pleno deserto pérsico, dar lugar a uma tempestade capaz de sepultar sobre um mar de areia toda uma exótica cidade fortificada. Em suma, um amor de proporções verdadeiramente monumentais. A pessoa por quem Sumire se apaixonou, além de ser casada, tinha mais dezasseis anos do que ela. E, devo acrescentar, era uma mulher. Foi a partir daqui que tudo começou, e foi a partir daqui que (quase) tudo acabou."
“O gelo é frio e as rosas são vermelhas. Estou apaixonada. E este amor vai decerto arrastar-me para longe. A corrente é demasiado forte, não tenho escolha possível. Mas já não posso voltar atrás. Só posso deixar-me ir com a maré. Mesmo que comece a arder, mesmo que desapareça para sempre.”
Nunca tinha lido nada deste autor apesar de estar a par do que tinha publicado e que se encontrava editado em Portugal. Não sei porquê, mas tinha a ideia de que seria um autor de leitura difícil...
Comprei o "Sputnik, Meu Amor". Peguei nele e li-o em menos de uma semana.
Fiquei fã e de certeza que vou acrescentar outros títulos deste escritor à minha biblioteca!

Urgência

A vida trouxe-te.
Presente inesperado feito de
Palavras ditas, escritas, silêncios, risos e lágrimas,
Amizade quase improvável.

Cada dia que termina, cada momento que partilhamos
deixa uma doce recordação, um sorriso nos lábios, a ânsia do próximo.

Desculpa a urgência que me invade,
A ansiedade de te querer sempre por perto.

Desculpa a urgência do contacto,
do toque, do olhar.

Desculpa-me tudo o que em mim não percebes e fica.
Não te assustes…

A tentar recompor-me

Estes dois últimos dias foram demasiado intensos.

Ontem, quando cheguei do funeral, deitei-me no sofá e fui dormindo e acordando até me mudar para a cama. Parecia que estava enfeitiçada.

Agora não sei o que hei-de escrever, não me parece que tenha cá dentro alguma coisa verdadeiramente interessante para partilhar.

Vou esperar...

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Adeus

Tio,
Não me despedi de ti.
Não sei se foi falta de tempo ou se foi mesmo a coragem que me faltou para te ver em sofrimento. Inconscientemente, acho que preferi guardar-te saudável e sorridente na minha memória de ti.
Sei que partiste sem que eu tivesse estado lá ao teu lado,
Sei que partiste sem que eu te dissesse o quanto gosto de ti.
Se é verdade que quem parte fica a velar pelos que deixa, então sabes que penso em ti com saudade, com ternura, com as memórias de momentos partilhados.
Cá dentro vão passando as imagens desses momentos, e são tantas, e tão boas, porque tu foste um Tio muito presente. Vantagens de ter sido a primeira, filha, neta, sobrinha! Obrigada por teres contribuído para boas memórias de Infância.
Vai, em Paz. Nunca me esqueças e, sorri!

Dia de Stº António

Não sou Crente mas tenho uma admiração especial pelo Stº António.O meu irmão Caçula nasceu no dia de Stº António, há 34 anos.Casei-me na Capela de Stº António, ao pé da Sé de Lisboa.A partir de hoje, este dia e este Santo passam a ter outro significado. A vida do meu Tio terminou. Tinha 66 anos.Estou triste, muito triste!

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Ainda os Combustíveis...e o Futebol...e Nós, portugueses!


Hoje de manhã, na Radio Comercial, anunciaram que:

1. os camionistas portugueses iriam terminar o bloqueio por haver perspectivas de negociações por parte do governo. Em Espanha e França, os camionistas continuam com o bloqueio;





2. o Senhor Scolari se mudará para o Chelsea no dia 1 de Julho e que teria anunciado ontem essa decisão, deixando a selecção e os jornalistas que a acompanham boquiabertos. Daqui para a frente, o desempenho da equipa das Quinas poderá alterar-se completamente. O treinador irá auferir €650.000 por mês!;






3. nós, os Portugueses, andamos à toa! As bombas de gasolina estão vazias e os nossos carros não podem andar, os supermercados estão em ruptura de stocks, os ordenados são baixos, as despesas são muitas, o endividamento das Famílias aumenta e a qualidade de vida baixa assustadoramente, mas ficamos tristes porque o Senhor Scolari vai embora e continuaremos a carregar nas buzinas dos nossos carrinhos (mesmo que parados à porta de casa) quando Portugal meter um golo.

Desculpem, não entendo! :-(

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Preguiça

Só me apetece deitar ali no sofá e dormir uma bela sesta...
Tenho que meter na cabeça que isto de ficar à conversa no msn até às tantas e depois acordar cedo, não está a dar bom resultado...
Tenho tanto sono...sei que não é bonito dizer e muito menos para todo o mundo cibernaútico, mas ainda hoje não fiz nada de verdadeiramente útil...
Estou a ouvir buzinas. O jogo deve estar a começar.
São horas de sair para recolher os pequeninos na Escola.
Vou tentar não adormecer lá à porta...

Fim da fila...


Depois de ter estado todo o dia a abastecer, a bomba de gasolina secou!

Aqui já não há combustível...

Nem fila...

Bloqueio dos Camionistas


Não, não vou fazer análise política.

Não é que não goste de política, porque gosto, mas porque não quero que o meu blogue se transforme num sítio político.

Tenho que falar sobre o Bloqueio dos Camionistas em Espanha e França.

Aqui, perto de minha casa, existe uma bomba de gasolina. Pacata. Quase familiar.

Hoje quando saí para ir pôr o M.M.1 à Escola, deparei-me com 2 filas gigantescas de carros para abastecerem.

"Isto está mesmo mau...", pensei.

Ontem, antes de me deitar, estive a ver as notícias na SIC Notícias:

Há produtores de leite que correm o risco de ter que começar a deitar fora cerca de 7.500 litros de leite por dia, por incapacidade de escoamento e de armazenagem...

As prateleiras dos supermercados começam a ressentir-se...

Alguma coisa vai ter que acontecer rapidamente!

Tio Franjinhas


Era assim que lhe chamava quando era pequena. O nome vinha do penteado, cabelo curtado curto, mas a franja espetava sempre, inevitavelmente!

Vekiki era assim que ele me chamava quando eu era pequena. Leãozinho da Metro, quando eu era adolescente e o meu cabelo louro e encaracolado fazia lembrar a juba de um leão.

Mas o Verinha foi o que perdurou. Até agora, quando já passei a barreira dos 40.

O meu Tio, meu Padrinho, está muito doente. Muito doente mesmo e eu estou triste. Foi ele que me ensinou a andar de bicicleta, era ele que me levava a passear ao Zoo, era ele que fazia sessões de cinema projectado na parede com filmes em que eu era personagem principal.

Quando ele partir, parte uma época da minha vida, feliz, porque ele é um homem feliz, engraçado, muito querido.

Por ele, espero que parta depressa. O sofrimento não lhe é devido!

De dentro de mim, nunca há-de partir!

terça-feira, 10 de junho de 2008

Centímetros a menos...Sorriso...



Ontem tivemos a Festa de Anos do V.

17 Anos!

Estava sem saber o que vestir...normal em mim quando tenho uma saída, dado que o meu guarda-roupa se resume a calças de ganga desde que deixei de trabalhar.

Mas há uma peça do meu guarda-roupa de Verão da qual gosto particularmente, um vestido branco até aos pés, com rachas de lado.

Pensei, vou vesti-lo! Tirei-o do roupeiro, engomei-o e vesti-o.

Assim que comecei a apertar o fecho senti que havia qualquer coisa de diferente em relação ao Verão passado - o vestido está folgado!
Pus relógio, brincos, colar e um lenço pelos ombros. Mirei-me no espelho e sorri!

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Finalmente, PRAIA!


A água estava mais do que gelada...

O Sol estava quente...

A areia cheia de gente...

Mas soube tão bem! Finalmente!

Orgulhos...

Ontem, à hora de jantar, recebi um telefonema da Directora de Turma da C.
Queria despedir-se de mim e agradecer-me a minha colaboração como Representante dos Pais durante estes dois Anos Lectivos.
No próximo ano já não irá ter a turma, gostou imenso de os/me conhecer, etc., etc.
Falámos um pouco sobre algumas questões que tinham ficado pendentes na última reunião com os Encarregados de Educação e sobre uma dúvida que a C. tem relativamente a uma das notas que saíu na pauta, e no fim...
- A C. está no Quadro de Excelência. Parabéns!
Eu sei quando digo que só tenho razões para me orgulhar dos meus Filhos e do trabalho que tenho vindo a fazer com eles!

domingo, 8 de junho de 2008

Sputnik, meu Amor


Consegui acabar o livro que estava a ler!

Vou mudar de leitura!

Aproveitando o facto de acordar cedo e de toda a gente dormir...MILAGRE!...deixei-me estar quietinha na cama e li o que me faltava.

É que isto de gostar de comprar livros tem os seus inconvenientes para além do preço, os livros vão-se acumulando na pilha dos "A Ler"!

Vou começar a ler Sputnik, meu Amor. Nunca li nada deste escritor e é o primeiro livro que compro dele, apesar de ter na minha lista outros títulos.

Espero gostar! Depois direi...

The Old Blue Eyes

Na minha sala, hoje, em sistema surround, canta o Mestre Frank Sinatra!

Grande parte da minha infância e adolescência foi embalada pela voz e pelas melodias deste Senhor. O meu Avô materno afirmava que ele era um "Mafioso"!

A minha Mãe era fã e o gira-discos não se cansava de tocar estes LP's. Um daqueles gira-discos que dava para empilhar seis LP's que iam caindo e tocando...

Sei as letras quase todas de cor e esta música faz-me querer dançar, rodopiar, sorrir, cantar alto!

Este ano, a Festa de Fim de Ano da Escola dos pequenos vai ser ao som de New York! Já estou preparada para cantar, dançar e choramingar!

A isto se chama boa música, a que se canta, ouve e dança atravessando três gerações :-)

sábado, 7 de junho de 2008

Europeu

O Futebol não me faz vibrar, perdoem-me.
Eu sei que se trata de um Campeonato Europeu, da representação do nosso País no Mundo, ou pelo menos na Europa, mas nem assim o meu coração bate mais rápido.
Na altura em que o hino tocar, se estiver a olhar para o quadradinho, sou capaz de cantar e até chorar. O Hino cantado por milhares de pessoas, abana-me sempre. Como as crianças a cantarem nas Festas de Natal da Escola.
Deve ser por isso que hoje estou assim meia "lerda"...sinto-me outsider no dia de hoje. Quando dei por isso, toda a gente tinha programas relacionados com o primeiro jogo da selecção portuguesa, até o A. rumou a Leiria para um jantar organizado especialmente para a ocasião...
Recebi dois convites para me juntar a "festas" para ver o jogo. Não me apetece, mas também não me apetece ficar aqui...
Espero sinceramente que Portugal ganhe!
Espero sinceramente acordar amanhã menos nublada, mais capaz de reagir e aproveitar o Sol que finalmente chegou!
Nunca pensei criar uma etiqueta Futebol no meu blog, nem sequer escrever quaisquer linhas relacionadas com o assunto. Não gosto de Futebol!

Alma

Empty, that's how I fell today.
Can't recognize me like this.

Procurando cá dentro o que se passa, para onde estou a ir.

Where's my soul?
My body's here, staring...

Sinto-me como se me estivesse a observar a mim própria.

Body and Soul, apart from each other
Sleep that's all I want to do.

Estranho-me
Penso-me
Procuro-me

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Desencontro

Já tenho tudo guardado. Só me faltam os livros. Deixo-os para o fim de propósito. Não gosto de os saber encaixotados, a empurrarem-se uns aos outros, as palavras a comprimirem-se, as frases a compactarem-se, sem conseguirem falar…
As paredes estão vazias e os móveis também. Não foi fácil, mas foi preciso. Por ti, por mim, por nós.
Pedi-te desculpa. Mil vezes. Sei que não compreendes e que por mais que tentes não consegues ver porque sofro, porque preciso de sair. Nem eu percebo muito bem o que foi acontecendo, o que me foi calando aos bocadinhos. Tal como os meus Livros, também eu me fui compactando, encolhendo, calando e ficando.

No Verão tudo parece melhor. Esta casa, aparentemente normal, sem graça até, no Verão ganha outra vida. A humidade desaparece, o Sol ilumina-a e aquece-a sem no entanto conseguir apagar o cheiro que a lareira vai deixando durante todo o Inverno.
Amo esta casa. Hoje amo-a particularmente. Enfeito-a de flores e cor para receber pessoas especiais. Família e Amigos que vêm ao meu aniversário.


Sento-me no chão. Encosto-me à parede. Fumo um cigarro, virada para o Mar. É o meu último cigarro aqui e também isso me custa. Saber que à noite, antes de me deitar, não vou estar aqui, neste bocadinho de chão, apenas a saborear aquele cigarro e aquele mar…

- Porque te sentas no chão? Que mania! Tens espaço aqui!
- Eu gosto do chão, de me sentir e sentar no chão…já sabes.

Nunca percebeste esta minha “mania”. Vem da infância, de serões sentada aos pés da minha Avó, encostada ao sofá onde ela se sentava a ver televisão. Aquele quentinho das pernas e da manta que as tapava, e eu ali…
Está frio. O Mar agita-se na força que lhe é própria nesta altura do ano. Gosto do mar assim, agitado, zangado, vestido de espuma branca como se fosse p’ra festa…

Olho de relance para o relógio da cozinha e para as check lists que organizei para mim própria. Tenho as mesas prontas, os tabuleiros no forno, as entradas no frigorífico…parece que não falta nada a não ser começar a festa.

Depois de esfriar esta decisão de partida, e não de fuga como um dia disseste, pensei no que gostaria de levar comigo desta Casa. A Casa. Não levo muito. Deixo-te o ponto de partida para outra viagem. Menos tumultuosa que esta nossa…

Está alguém a chegar. Estou a ouvir o cão a ladrar e um carro a parar. Ainda bem que consegui acabar de me vestir e enfeitar ainda sózinha. Detesto estar à pressa, não acerto com os acessórios, fico mesmo à toa. Vai correr tudo bem.

Recordo a tua chegada com tanto prazer e ternura. Simples, sempre. Tu e só tu. Nas mãos um embrulho que denunciava o conteúdo. Um livro, o primeiro de muitos que recebi nessa noite, ou não fosse sempre extensa a minha lista de desejados. Talvez não quisesse ter cá mais ninguém naquela noite. A tua presença, a tua companhia bastar-me-iam. Seria um Dia inesquecível se fosse único o teu presente, única a tua presença.

Ainda bem que chegaste antes de todos! Podemos pôr as nossas conversas em dia antes que chegue toda a gente!

E eram mesmo bons aqueles momentos em que partilhávamos as nossas parvoíces, o que sentíamos, o que nos apetecia. Aqueles momentos aproximaram-nos e aos poucos foram sendo o nosso motivo de afastamento. Perdemos a magia da conversa, da partilha, da gargalhada e, às vezes, das lágrimas.

Vem muita gente ou os do costume?

Como é estranha a Casa vazia. Decidiste que não querias ficar com nada, que poucas coisas eram realmente tuas, que o que era teu já não te pertencia realmente. Que triste que é desfazer uma casa.

- Está tudo delicioso. Parabéns! A menina continua uma excelente cozinheira e anfitriã!
- Ah, obrigada! Vou até à varanda refrescar…estou morta de calor!

Se não fosse o Mar, até a varanda teria perdido o encanto. O vazio está a tomar conta de mim. Por um lado estou contente, aliviada por ter conseguido tomar uma decisão que era urgente há muito, mas por outro lado…estou sozinha. E eu detesto estar sozinha. Quero que a amizade entre nós continue. Sei que não pode ser já, de imediato, mas quero que continue. As nossas saídas, as nossas conversas sem pés nem cabeça, a nossa cumplicidade. Não há ninguém que me saiba fazer melhor companhia nessas coisas. Só tu!

- Ah, estás aqui! Estou mortinha de calor…
- Que tal? Estás contente? Tens cá todos os que querias ter! Conseguiste todos os livros que querias ou tiveste direito aquelas pirosadas que vais oferecer na primeira festa de Natal que aparecer?

Risos…os nossos risos…aproximam-nos. Os nossos olhos, uns nos outros, sem desvios, sem fugas. Não precisamos de falar porque os nossos olhos falam uns com os outros e dizem-se o que agora não podemos dizer, fazem o que não podemos fazer. Vais ficar cá hoje, comigo? Pergunto-te em pensamento, respondes-me em palavras,

- Estava aqui a pensar se poderia passar cá a noite.Já tinha saudades de sentir este cheiro a maresia e de me deixar adormecer com o som das ondas...posso ficar?

Ficaste naquela noite e nas que se seguiram, foste ficando e ficando.
Sou eu que vou sair, perdida, desfeita por dentro, mas tenho que sair.
Pronto! Os livros estão encaixotados.
- Podem levar estas caixas, por favor.
Olho à volta. Pego no cinzeiro, na mochila e no blusão.
No vidro da janela, virada para o Mar que sempre nos acompanhou, escrevo AMO-TE.
Bato a porta.

Rio-me. Sim, existe alguma coisa entre nós, alguma coisa que nos liga sem percebermos porquê, que nos quer juntar por qualquer razão. Molhas o dedo no copo e escreves no vidro da janela, virada para o Mar, AMO-TE. É o melhor presente de aniversário!
Este Post é o resultado de um "desafio de escrita". Segundo o "desafiante", deveria ter continuação...eu não sei...fico à espera das reacções de quem me lê!

Estou a stressar...

a sexta feira costumava ser aquele dia da semana em que eu me sentia em princípio de fim de semana e que passava isenta de stress.

Ultimamente tem sido o contrário...parece que à sexta feira tudo acontece!

Ontem o meu fim de dia foi complicadérrimo e a hora de jantar que costuma ser religiosamente cumprida entre as 7 e as 8, passou para as 10 :(.

As crianças deitaram-se tarde.

O Pai chegou muito tarde.

Eu deitei-me tardíssimo.

Hoje ninguém acordou! CAOS!

No meio da confusão que é uma Família de 6 pessoas atrasadas ainda houve quem se lembrasse de

- Mãe, dás.me uma mochila p'ra eu arranjar as minhas coisas p'ra ir p'ra casa do D. passar o fim de semana?
- Mãe, os ténis cheiram mal, porque eu ontem pisei cócó de cão...
- Mãe, a seguir à Escola posso ir p'ra S.Pedro andar de skate e dar mergulhos?
- Mãe, a seguir ao Liceu posso ir passear com a C.? É que hoje é o último dia dela conosco...

AIIIIIIIIIII, grito eu interiormente!

Toca o telemóvel.

- D.Vera, é da Escola da G.. Está aqui uma Mãe à procura da folha que a Srª tem p'ra recolher as assinaturas...

Não é possível, penso eu com os meus botões (que hoje são muitos!). O que é que me vai acontecer mais?

- Diga à Srª que a folha está na Escola de S.J. Ela que vá lá ter comigo. Vou já p'ra lá!

Desligo o telemóvel. Grito,

- Meninos, rápido p'ro carro. Tenho que estar em S.J. agora!

Discussão por causa dos lugares no carro. Quem é hoje à frente, não, tu ontem roubaste-me o lugar...quem é que vai atrás no lugar do meio, não, tu vais sempre e eu nunca vou...

AIIIIIIIIIII, grito eu interiormente!

Aí vamos nós.

Quase os empurro para fora do carro. Vão-se embora! Estão mais que atrasados!

Corro para a auxiliar, pergunto pela folha que ninguém parece saber onde se meteu...que não, que ninguém deixou aqui folha nenhuma...

Vou telefonar à última Mãe que assinou...

- Não Vera, a folha está comigo, no carro, tive medo de a deixar aí na Escola e que a perdessem!

Entretanto chega a outra Mãe. Tenho que lhe dizer que está tudo maluco e ninguém sabe onde anda a Folha. Tudo bem, falamos mais tarde!

AIIIIIIIIIII, grito eu interiormente!

Oh, por favor!

Deixo os Grandes nas Escolas, ponho o pé no acelerador e lá vou ter com a Mãe que tem a Folha!

Ainda só são 11 da manhã...

Gostava de conseguir ir ao cabeleireiro (onde já não vou há uns 4 meses!),
Tenho um jantar,
Tenho que deixar as coisas preparadas em casa p'ra me ficarem com os miúdos,

AIIIIIIIIIII, grito eu interiormente!

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Para ontem

estava marcada uma Reunião Geral de Pais/Encarregados de Educação da Escola do M.M.1.
Esta reunião, convocada pela Associação de Pais (AP), tinha por objectivo eleger novos elementos e escolher também os representantes dos Pais/Encarregados de Educação no novo Conselho Geral Transitório do Agrupamento de Escolas. Convém dizer que a AP tem vindo, nos últimos Anos Lectivos, a perder a sua força e representatividade graças ao desinteresse dos Pais.
Deixei aqui os meus Meninos e lá fui eu, mais cedo, como manda a lei!

- Então D. Vera, vai vir muita gente à reunião?
- Não faço ideia! Temos sala p'ra reunir?
- Ah, podem reunir na sala junto ao Conselho Executivo e se aparecer muita gente abrimos uma sala daquele lado (sala de ET ou EVT).

Às 18:45, hora marcada para o início da reunião, estávamos na Escola cinco Encarregados de Educação - três do 8º ano da turma do M.M.1, uma do 5º e outra do 6º ano.

Conversámos, esclarecemos algumas dúvidas às Mães mais novas e saímos o portão às 8 da noite. A conversa continuou na rua até quase às 10 da noite.

Eu, já com muito treino destas andanças associativas, fico triste. Pergunto a mim e a quem quiser pensar comigo, o que é que estes Pais pensam e esperam de uma Escola na qual não têm interesse em participar...

Dual

adj.2.gén. 1. relativo a dois; 2. que designa duas pessoas ou coisas

Debato-me.
Entre a vontade de permanecer e o impulso da mudança.
Da mudança radical, sem limites e sem medo.

Debato-me.
Os meus Eus separam-se e lutam entre si,
Cada um deseja vencer o outro, dominá-lo, vergá-lo à sua vontade.

Debato-me.
Entre a certeza de quem me quer e tem
E a incerteza de quem não me tem.

Debato-me.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Junho, início de Férias

Junho significava sair da cidade e mudança para "o Estoril". Na verdade a mudança era p'ra S. João, mas dizíamos Estoril.

Fazíamos as malas e vínhamos ou de comboio com os nossos Avós Paternos ou de carro com os nossos Pais.
Os meses de férias eram gozados até à última gota, até porque a Escola, dantes, só começava lá p'ro meio de Outubro, às vezes, com sorte, final de Outubro.
A praia era destino obrigatório. Enquanto éramos mais pequenos, no sistema de ir de manhã e vir a casa almoçar e fazer a sesta. Mais crescidinhos, já tínhamos autorização para ficar na praia todo o dia. Íamos a pé e vínhamos.
O dia era passado em mergulhos, jogos de prego e de carica, passeios pelo Paredão, brincadeiras com amigos e namoricos.
À noite juntávamo-nos na entrada do prédio dos Avós com um gira-discos a pilhas e os nossos singles preferidos e ouvíamos música enquanto subíamos e descíamos a rua (na altura quase vazia de trânsito!) de bicicleta ou jogávamos às escondidas.

Outro programa que adorávamos fazer era ir à Feira do Artesanato e não havia Férias sem este programa! Comer algodão doce e nougat, ver e ouvir os ranchos folclóricos. A pé pelo Paredão fora, da praia da Poça ao Estoril e vice-versa.
Quando, hoje em dia, os meus Filhos dizem que Férias aqui são "uma seca", só penso como para mim eram "uma Festa"!

terça-feira, 3 de junho de 2008

Vento

Hoje de manhã a Belita dizia-me que lá para os lados dela estava uma ventania do caneco ao que lhe respondi que por aqui só começaria o vento quando começasse realmente o bom tempo!
E não é que se está a levantar grande ventania?
Já me fui preparar para a possibilidade de o calor vir mesmo aí! Fui à cera!
Blog Widget by LinkWithin