Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

A Diferença e o Racismo

Andava eu aqui pela vizinhança, quando me deparei com este texto.
Li-o e de rajada comentei-o. Não por mero acaso ou para ser socialmente correcta, mas por convicção.

As Escolas que os meus filhos têm frequentado são escolas públicas onde se cruzam todos os meninos/meninas.

A 2.3 onde já andaram os mais crescidos (o segundo ainda lá está) e para onde entra no próximo ano lectivo o terceiro, é uma Escola localizada num Bairro de Realojamento.

O Jardim de Infância onde andou o mais pequeno está contruído no recinto da Básica que serve a população desse mesmo Bairro de Realojamento e ainda algumas "barracas".

Ou seja, os meus Filhos estão habituados a viver e a conviver com a diferença sem que isso os afecte ou os preocupe. Eu gosto da diferença e por isso tenho os meus Filhos em Escolas Públicas, porque acredito que o melhor para eles é saberem que a diferença existe e que não há que ter medo dela.

Naquele Bairro, naquelas Escolas, eu sou conhecida, cumprimentada e acarinhada por muitos, negros e ciganos, mas este carinho não surge do nada. Surge porque eu gosto daquelas pessoas, porque converso, porque rio, porque abraço, porque beijo...porque eu gosto de pessoas independentemente da cor da pele, da raça, da religião, das convicções políticas e/ou da idade.

Este ano, ao terminar o 4º ano do meu Filho nº 3, a etapa seguinte é a Escola 2.3 sede do Agrupamento de Escolas que frequentam. Foram muitas as hesitações, dúvidas e medos de Mães da turma dele quanto à inscrição "naquela" Escola...porque tem muitos "pretos" e "ciganos", porque têm medo do que possa acontecer aos seus Filhos.
Não vai acontecer nada. Os Meninos/as "pretos&ciganos" são Meninos/as como todos os outros.

São Meninos/as que, na maior parte das vezes, vivem em condições difíceis, em Famílias destruturadas (no caso dos negros é mais comum), não sendo por isso de estranhar que os resultados escolares não sejam sempre os melhores.

Os Meninos/as ciganos são Meninos/as que vivem inseridos numa Cultura e modo de vida que pouco ou nada têm a ver com o nosso. As regras são mais difíceis de interiorizar porque não são as regras que eles têm em casa. O que lhes interessa a eles saber História, Português ou Ciências da Natureza se são assuntos de que normalmente não ouvem falar? Porque hão-de estar sentados sossegados numa sala de aula, se em casa, nos prédios, as portas estão sempre abertas e muitas vezes a sala é a rua à entrada do prédio?

Quanto ao convívio com os outros, qualquer Menino Cigano sabe do peso que tem para "os brancos" a palavra que denomina a sua raça. Só a palavra lhes mete medo e, por isso, é comum experimentarem até que ponto ela lhes poderá trazer benefícios.

Mas não é assim também entre Meninos/as "brancos"? Não há sempre os que são "mais fortes" e gostam de mostrar essa "qualidade" aos "mais fracos"?

Sempre foi assim. Não é de agora.
Preocupa-me esta forma de estar na sociedade. Preocupa-me o preconceito e o racismo. Seremos nós, brancos, melhores que os negros ou ciganos? Não me parece!

Enquanto tivermos esta atitude de desconfiança e medo perante a diferença, seremos os promotores da desconfiança e medo na cabeça dos nossos Filhos e eles serão os futuros Adultos.

4 comentários:

KatWoman disse...

Tens toda a razão e cabe-nos tentar mudar essas mentalidades atrofiadas. Mas não é nada fácil.
Os meus S. e G. também sempre estiveram, por opção, em contacto com a diversidade e a diferença frequentando escolas inseridas em bairros "problemáticos".

Excelente post com uma temática "incómoda" para muitos.

Kat

1/4 de Fada disse...

Ainda bem que cá vim. raramente leio um texto com que me identifique tanto. Passo a explicar: identifico-me com o que escreveste como cidadã, como mãe e como profissional. Os meus filhos andam numa escola pública, convivem com toda a espécie de colegas isso só lhes tem feito bem, prepara-os para o mundo real que vão encontrar quando saírem dela. E é claro que eu defendo a escola pública, porque sou professora de História numa! Tenho neste momento quase tantos alunos caboverdianos, guineenses, brasileiros e dos países do leste como portugueses e já tive, por duas vezes, alunos ciganos, quando leccionei na Secundária de S. João do Estoril, por isso sei bem a que te referes quando falas da maneira diferente de estar que têm. Diferente, não pior ou melhor. E é, cada vez mais, com esta diferença que temos que saber viver.

Vekiki disse...

Olá 1/4 de Fada!
Obrigada por teres vindo.
Obrigada pelo teu comentário :-).
Pelos vistos somos vizinhas...ou pelo menos falamos sobre a mesma localidade! A Escola onde leccionaste é a que a minha Filha mais velha frequenta. Os outros 3 frequentam Escolas em redor dessa. Conheço bem a população de quem falo.
Um beijo enorme p'ra ti!
Vai aparecendo por cá e eu pelo teu 1/4!
Bjs

Peninha disse...

Felizmente nasci e frequentei escolas muito "coloridas" e fiz e tenho amigos de várias cores, feitios, altos, magros, mas acima de tudo são meus amigos.
Bons e maus existem em todos os grupos, em todo o tipo de sociedade, religião ou etnia.
Só através do contacto e da partilha do mesmo espaço é que se vai conseguir combater muitos dos econceitos que ainda existem e das inúmeras formas de racismo que ainda existe na cabeça muito vazia de algumas pessoas.
Isolar pessoas porque são todas da mesma cor só favorece o aparecimento de mais problemas e de mais isolamento e indiferença.

Blog Widget by LinkWithin