Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Médicos, Consultas, Mentalidades e mudança...

A minha blogo-amiga Patti, a propósito das minhas queixas de saúde, recomendou-me a ida a uma consulta de rotina.

Apesar de não gostar sequer de pensar que poderei estar doente, (porque só de pensar fico doente), gostava mesmo de ter um/a médico/a assistente daqueles/as que só existem nas séries ou nos filmes.

Gostava de saber que aqui mesmo na minha rua, no Centro de Saúde a que pertenço, existe uma pessoa que dá pelo nome de Médico de Família e que estaria lá disponível para quando eu sentisse que qualquer coisa não estava a correr bem...

Por sorte, nunca precisei realmente de um Médico de Família institucional porque tenho uma Mãe médica. É a ela que recorro quando tenho algum xelique ou quando preciso de algum medicamento.

Por sorte, também, ou não, pertenço a uma minoria de cidadãos portugueses que tiveram direito a um Médico de Família.
A senhora que me saíu na rifa como Médica de Família é tudo menos simpática e disponível. A primeira vez que lá fui, embuída do espírito que ia criar empatia com alguém que me iria compreender quando eu me sentisse em baixo de forma, depois de explicar à Srª o que me tinha levado ali (programar uma profilaxia anti-cansaço excessivo), ela perguntou-me com um ar muito enjoado o que é que eu fazia na vida. Quando lhe respondi que era Mãe a tempo inteiro e dona-de-casa, ela perguntou-me, desdenhosamente, porque é que eu me queixava, quando maior parte das mulheres têm essas tarefas a acrescentar a uma vida profissional.

A partir desta primeira experiência, em que pensei que quem tinha uma Médica de Família assim não precisava de inimigos, nunca mais pus os pés no Centro de Saúde.

Continuo a "servir-me" da minha Mãe e a aproveitar o Serviço Médico do seguro de saúde que temos, mas penso muito nisto e fico triste.

Fico triste por mim, porque gostava de afirmar que me orgulho do Sistema Nacional de Saúde e que é só esse que utilizo; fico triste pelos milhares, milhões, de pessoas que não têm acesso a sistemas privados de saúde e que têm que se sujeitar aos "bons" tratos dos "profissionais" disponíveis nos Centros de Saúde.

Fico triste porque estamos no séc.XXI, num país da Europa, num país que quer ser desenvolvido, que quer evoluir, que quer evidenciar-se no Mundo, mas que não cumpre os princípios mínimos de bem estar dos seus cidadãos.

Fico triste porque somos um País de gente muito acomodada. Não somos capazes de nos unir em prole de mudança, de alteração de mentalidades e costumes. Precisamos de acreditar que a mudança também é feita por cada um de nós e não só por aqueles que nós designamos por Estado/Governo. Como é que essa mudança se poderá fazer? Mudando as nossas atitudes face ao que nos é apresentado como instituído.

A minha reacção à atitude desta Srª foi fazer uma exposição por escrito à Directora do Ctº de Saúde, descrevendo o sucedido e manifestando a minha vontade de mudar de Médico de Família.
Porque não podemos simplesmente "comer e calar"...

5 comentários:

Peninha disse...

Olá Vera...
Se fossemos fazer posts sobre os Centros de Saúde e sobre o nosso sistema de saúde então tínhamos posts para uma vida.
Aliás, a aventura de ir ao médico de família começa logo pela sala de espera (sem falar na espera que temos que passar para conseguir arranjar uma consulta...).
Se te deres ao cuidado de ouvir/discutir/partilhar conversas nas longas horas que passamos nessas salas podes ter a certeza que vais ter a noção que vais morrer no dia a seguir. Uma pessoa vai lá para se tentar curar de alguma coisa e quando começa a partilhar experiências começa logo a sentir que tem mil e umas mais doenças.
Depois o médico de família não é um especialista... se fores lá para tratares de alguma coisa o mais certo é encaminhar-te para outros médicos, fazer para aí 30 exames e depois no fim acaba por te passar uma pomada e uns comprimidos para curar sabe-se lá o quê. Normalmente são tudo viroses.... ou seja, algo mas que não se sabe bem o quê!!!!
Mas tal como disse, a odisseia começa logo na marcação das consultas. Imagina que não tens nenhum seguro de saúde... doi-te horrivelmente uma parte do corpo (podes escolher uma...já está) e vais à Caixa. Chegas lá (por exemplo hoje) e tentas marcar uma consulta por exemplo para um ortopedista porque te dói uma perna em particular umas pontadas no joelho. Resposta "Temos vaga para 12-07-2009"... 2009? Ou seja, quando realmente fores à consulta com sorte já lá apareces com a perna amputada!!!
Quanto á má cara da médica... isso acontece já em muitas profissões. Quantas vezes entramos numa loja e a empregada está com tamanha "tromba" que só isso nso faz pensar se não seria melhor ir aos ciganos à Feira de Carcavelos ou Cascais. Já sabemos como eles são mas sempre é mais barato!!!

Ka disse...

Fizeste exactamente o que todas as pessoas deveriam fazer sempre que há alguma coisa que não corre bem. Só assim avançamos.

Eu detesto a atitude do "deixa andar" e acho que temos a obrigação de ter uma participação activa.
Quanto ao SNS em si, de facto quem não tem gente conhecida na área da saúde está literalmente tramada...uma tristeza!

Beijosss e uma excelente semana :)

pensamentosametro disse...

Pois, cá por casa é mais veterinário, eheheh.Também eu tenho a sorte de ter médico de família e ao contrário de ti tive a super sorte de ter um médico de família à antiga, amoroso disponível e atento. aplaude de pé não teres optado pelo simplicismo de dizer mal na mesa do café e teres recorrido às ferramentas que temos à nossa disposição, faço-o sempre. Espero que a tua saúde esteja em grande forma e seja apenas o cansaço profissional de uma mãe de quatro.

Bjos

Tita

Vekiki disse...

Peninha, o tempo de espera no Ctº de Saúde é realmente irreal, mas infelizmente há médicos particulares que também fazem gala em nos dar seca, como se isso fosse uma maneira de nos mostrarem que são realmente bons, atarefados e importantes!Datas de marcação são outra anedota realmente...a consulta de Planeamento Familiar, por exemplo, é suposto ser um direito de todos os jovens/adolescentes. Quando em Julho a quis marcar para a C., responderam-me que ainda não podiam fazê-lo porque não tinham ordem para marcar para Outubro (????)...OK?...não, isto não tem realmente ponta por onde se lhe pegue...é pena, porque eu gosto do meu País...

Ka, sempre fui rotulada de contestatária, revolucionária, refilona, etc, mas não gosto de engolir sapos...às vezes que remédio tenho, mas há outros que acho, tenho a certeza que Ninguém deve engolir!
Bjs e boa semana para ti também:-)

Patti disse...

Fizeste o que eu também faria: reclamação.

A minha médica de família é dessas das séries de televisão.
É a melhor médica que eu já vi na minha vida e aqui no meu centro de saúde não é única. Toda a gente diz muito bem dos médicos daqui, até os das urgências.

Mas vais fazer os exames de rotina à mesma. Com a bruxa ou sem a bruxa.

Blog Widget by LinkWithin