Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Apenas uma Cozinha, a da Belita!!!


É uma cozinha invejavelmente grande. Pintada de amarelo forte, quase torrado. Na parede do fundo foi encastrado um móvel que alberga canecas de todas as origens e tamanhos, copos, pratos, taças, talheres, tachos e tachinhos, formas e forminhas, tabuleiros e tabuleirões.

Na parede oposta a esta móvel existe uma janela. No parapeito desta janela pode estar um copo com cheiros prontos a ser utilizados num qualquer cozinhado ou o Gato, preto, grande, lindo, de olhos verdes, que gosta de saltar janela fora para ir passear e saltar janela dentro para se vir enroscar nos pés de quem na cozinha se atarefa. Em frente à janela estende-se um campo imenso, verde, como se fosse o mar mas em versão de terra atravessado ao fundo pela linha férrea. Gosto de estar ali e ver o pendular a passar, gosto da maneira bamboleante como ele se desloca. Gosto de ver o verde a abanar ao sabor do vento.

Também existe a bancada e dois fogões - um moderno e outro a lenha - e uma chaminé grande, antiga. A chaminé original desta casa que foi toda recuperada por quem nela habita, alguém que nela nasceu, cresceu e viveu com um "rancho" de Irmãos.

Nesta cozinha tudo é aproveitado até ao último grama. Nada se desperdiça e tudo se aproveita, reinventando-se na sua origem e no seu objectivo final. As bananas que ficam demasiado maduras são congeladas e acabam em bolo de banana. O tomate é transformado em molho e é congelado em porções certas que serão utilizadas no cozinhado certo.

E depois há os sazonais, as compotas próprias de cada época do ano, os bolinhos de gengibre que se oferecem no Natal, o Bolo de Natal que se começa a fazer no final de Setembro, a marmelada, a geleia de pétalas de rosa que só pode ser feita com pétalas de rosas não tratadas. Vão se guardando as pétalas em saquinhos de sanduíches, no congelador, para não ficarem escuras. Quando se atingem os 300 gr de pétalas, pode fazer-se geleia.

E depois há o dia-a-dia. O Pão, os Chás de todas as qualidades, a toda a hora do dia, a maravilhosa macaxeira que origina as melhores batatas fritas do mundo, as sopas feitas com os legumes que "vou ali fora buscar uma alface e uns alhos franceses e fazemos a sopa num instante".

Ao fim do dia, quando o jantar termina, fica-se por ali, no quentinho e no cheirinho desta cozinha em constante produção. Em redor de uma mesa que "alguém" apanhou no lixo há já uns largos anos, mas que continua a ter saúde para dar e vender e a gostar de sentir gente à sua volta. Gente que se gosta e se quer, apesar da distância, apesar dos meses que passam sem se encontrar. Porque cada reencontro é uma Festa que dá gosto partilhar.

5 comentários:

Si disse...

Conheço uma cozinha assim.
E também já tinha previsto falar dela, um dia destes, se calhar por várias vezes, porque eu demoro a contar as coisas.
E vai ser na cozinha, na sala e nos corredores da minha casa, que amanhã vou querer juntar alguns vizinhos. Apareça e traga as 'areias' prometidas.
Beijinhos

KatWoman disse...

A cozinha é de facto a minha divisão perferida da casa. É normalmente aí que a vida familiar se consolida, as emoções se cozinham e a felicidade acontece.
Uma cozinha tão bem descrita como esta é apenas o prólogo de uma amizade sólida, bem temperada e que "(...) une Gente que se gosta e se quer" , apesar da distância

Fizeste-me viajar com este texto pelas cozinhas da minha vida e ainda bem.

Kat

Patti disse...

Até apetece, essa cozinha quente.

belita disse...

Obrigada! Acho que tenho passado depressa demais pela minha cozinha, não a tenho sentido assim tão profundamente. Talvez pelo hábito, já nem dou pelo pendular, só me mexe os sentidos quando passa um de mercadorias, cada vez mais raros...
Da minha cozinha vem agora um cheiro de pão acabado de cozer, uma mistura da qual era incapaz de passar a receita, tais são as alterações que faço aos originais.
O gato preto anda lá por fora. Daqui a um bocado estará na beira da janela para entrar. Nunca entra pelas portas porque tem medo dos cães.

Maria Lua disse...

Também quero uma cozinha assim!
Obrigado e bom final-de-semana.
:-)

Blog Widget by LinkWithin