Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Bocadinhos de mim, Mim aos bocadinhos...(para a minha Filha)

Sentimentos à flor da pele. Estão descontrolados. Não percebo o que os pôs neste estado. Talvez ter percebido que o Mundo é enorme e que pode ser corrido com mais facilidade do que alguma vez eu tinha pensado. Talvez ter percebido que nada do que temos é certo, estável e duradouro. Tudo pode transformar-se num segundo. A vida pode mudar de rumo tão rápido como um clic. Aqueles de quem gostamos podem, de um momento para o outro, sair das nossas vidas. Mesmo que saiam temporariamente e que conscientemente o saibamos, ver partir, para mim, é doloroso. Talvez tenha compreendido que os meus Filhos, o que eu sinto que é meu verdadeiramente, para sempre, não o são. São pessoas, cidadãos, que eu também desejo que sejam, que possam vir a ser, do Mundo. E isso magoou-me. Doeu-me cá dentro. Sentir que posso vir a sentir a saudade, a melancolia da partida. Sentir que a falta que me fazem é enorme. Sentir que basta a ausência de um para que o meu Eu se sinta com um pedaço a menos...sentir que não estou ainda preparada para os ver começar a partir...sentir que não sei se algum dia estarei preparada...sentir que o sair de casa pode vir a significar distância...e a distância dói...mas, por outro lado, sentir que quero que sejam muito felizes e para o serem poderão ter que se afastar de Mim...


...eu sempre disse que chuva, para Mim, não era fonte de inspiração...

7 comentários:

Filoxera disse...

Olha, por acaso discordo. Acho que a chuva te conduziu a um texto bonito.
E, quanto ao teu comentário no meu post de hoje, foi o que mais me tocou. Arrepiou-me...
Obrigada. Um xi!

Rita disse...

Deve ser complicado...ver os filhos partir:( quando eu fui para a faculdade, a minha mãe sofreu muito, embora em silêncio... Mas é a lei da vida, não se pode mudar isso não é? beijinho

pensamentosametro disse...

Um abraço solidário Vera, também eu sinto assim mas se lhes damos asas esperamos que voem. Só tenho dois filhos e um a 1000 km de casa, quase sempre. Não, a chuva também não é a minha coisa preferida e fonte de insparação dilecta.


Bjos


Tita

Dora disse...

Pois é amiga, nós também partimos é a lei da vida. Mas custa e de que maneira. A sorte é que ainda temos mais uns para tapar buracos.

BlueVelvet disse...

Já aqui vim 2 vezes e 2 vezes me fui sem comentar.
Porque sou a pessoa menos indicada para o fazer.
Há 5 anos que metade de mim viva, arrasta a outra metade morta-viva.
Desde que o meu filho foi para Nova Iorque e o vejo 2 vezes por ano, que me falta o ar permanentemente.
Tomara que nunca tenhas que te separar dos teus.
Beijinhos e a chuva inspirou-te

Miepeee disse...

Nao quero pensar nisso, para ja nao preciso, mas compreendo a tua angustia porque sei que vou sentir o mesmo. Se ha um lado racional que entende que e natural que eles voem, ha o lado emocional que quer que eles se mantenham connosco. Tambem os nossos pais ja passaram pelo mesmo, utilizando um cliche, e a lei da vida.
Que chova mais, pois inspiracao nao te faltou :)
Beijinho.

catarina disse...

para mim :D ohhhhhhh obrigada, tambem gosto muito de ti e tambem me fazes e faras sempre muita falta, adoro-te!

Blog Widget by LinkWithin