Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Simplicidade # [1]

Dualidade vinda Daqui

És tão simples e tão complexa...


Ando a pensar nesta frase deixada na minha caixa de comentários desde que a li.

Quando me penso penso-me normal, na realidade muito normal. Sem nenhum atributo ou característica especial que me faça sobressair num grupo de pessoas da minha idade.

Casada porque quis, mãe de filhos porque quis e quando quis, stay-home mother porque achei ser a melhor opção para acompanhar os meus filhos enquanto de mim precisassem, condutora, "dona" de uma casa a meias com uma instituição bancária, dona de um carro em segunda mão, sem empregada, a fazer contas aos cêntimos que se têm de gastar...nada de extraordinário, certo?

Mas depois, há aquele meu lado que me faz pensar se não serei dona de uma dupla personalidade, já que tantas vezes penso em mim como duas pessoas diferentes.

Cabeça sempre a mil; desejosa de cumprir mil e um projectos para os quais sei não conseguir ter tempo; sempre com a esperança de que o futuro me vai trazer surpresas agradáveis e portanto vale a pena ir passando os dias que não são tão agradáveis; sempre ansiosa pelos pequeninos momentos que tenho só para mim, para estar com pessoas de quem GOSTO realmente e não com as pessoas com quem TENHO de estar; sempre com uma sensação de insatisfação que não vem da falta de euros para gastar ou da opção tomada há já quase 10 anos, mas vem lá do fundo do meu Eu insatisfeito...

Chego à conclusão de que sou de uma simplicidade muito complexa.

8 comentários:

pensamentosametro disse...

Quase todos os verdadeiramente simples são assim. A insatisfação, a procura do não sabemos o quê, aqu~ela coisa a que chamo síndrome António Variações vem da genuinidade de cada um. Ser simples, para mim é ser gente, pessoa de corpo inteiro sem necessidade de adornos sejam de que tipo forem.

Bjos


Tita

Gi disse...

Eu, muito sinceramente, por aquilo que leio aqui e nãs te conhecendo acho-te de uma grande complexidade, muito simplesmente; não que isso seja criticável, ou algo de mau, apenas és e isso para mim não tem grande importância.

Eu já fui bem mais complexa, com a idade tenho vindo a simplificar-me e sinto-me e sou bem mais feliz.
Um beijo.

Bisc8 disse...

Como te percebo.

Começo a chegar à conclusão que todos temos uma dualidade. E até que tem a sua lógica pois não faria sentido existir o bem sem o mau, o quente sem o frio, o branco sem o preto.

O problema é lidar com isso. E digo isso face à minha circunstância de ter que planear o meu futuro sendo eu tão inconstante.

Para já apenas tenho a certeza que devo querer sempre mais, porque "triste de quem é feliz".

Beijinhos
:)

100 remos disse...

Cheguei aqui e adorei! O teu blog é tão bonito...

Filoxera disse...

E não seremos todos, amiga?
Brevemente vamos arejar, bora?
Beijos.

dora disse...

É essa complexidade em ti que faz com que sejas uma pessoa muito especial. Pois quem tem o prazer de privar contigo sente-se preenchida.

Su disse...

a vida assim é...optar...optar....



( já reparei sermos ambas "sentimentais" logo sempre que queiras nem precisas e nada dizer, fazes copy past e tudo bem, afinal eu não escrevo, copio)


jocas maradas.sempre

@me@@@ disse...

gostei bastante da frase e pelo post concordo plenamente!!!

:-)

Blog Widget by LinkWithin