Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Outono (II)

a chegada a Lisboa era sinónimo de regresso ao liceu - o Filipa de Lencastre. a nossa cor era tal que todos perguntavam se tínhamos ido de férias para o Brasil...nós ríamos...sim, sim, S. João do Estoril!
os livros não se encomendavam por Internet no mês de Julho. compravam-se na Papelaria Académica, nas imediações do Liceu. quando não os encontravamos aqui, íamos até à Barata ou à Bertrand na Avenida de Roma. não havia hipermercados e os cadernos eram comprados também na Académica ou na papelaria do Liceu. não havia Pai nem Mãe a forrar livros e cadernos com papel autocolante. havia Filhas a recortar revistas, a colar nas capas dos cadernos e a forrar por cima com fita-cola (ahahah). não havia Pai nem Mãe a levar-nos ao Liceu, a ir a reuniões com o Director de Turma. havia pernas que subiam a Guerra Junqueiro e que nos levavam ao Liceu, sozinhas ou em grupo. e depois havia as castanhas assadas na rua, na Praça de Londres. e havia a Festa de Anos com todos os Amigos, meus e dos meus Pais, os de sempre e os de Verão. e havia a panela do doce de tomate em cima do fogão de casa duma Avó e a panela da marmelada em cima do fogão de casa da outra Avó...

7 comentários:

Gi disse...

A única coisa em comum contigo era a parte de recortar revistas ... e de comprar muita coisa na papelaria do Liceu.
Adorava os meus "dossiers" comprados no Liceu, com argolas metálicas.
Ainda guardo as argolas ... ahahahah!

Gi disse...

Ai .. também não havia reuniões de Pais com DT.
Aliás nem me lembro se havia DT ...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Lá no meu Porto as coisas passavam-se também assim. Sinceramente, penso que era muito mais divertido do que agora o regresso às aulas.Ia pelo meu pezinho, encontrando pelo caminho amigos que já não via desde Junho.

Patti disse...

Eu comprava os livros escolares nas livrarias do Chiado. Também era fanática das capas dos cadernos e livros forrados com recortes de revistas.

Alexandre disse...

Apesar de tudo dava tudo, mas mesmo tudo, para voltar a esse tempo...

MAria tardIA disse...

Vekiki,

para o que me havia de dar...

lembro como se fosse hoje recortar revistas, colar nas capas dos cadernos fotos e imagens criteriosamente escolhidas para forrar por cima com fita-cola... :))
É verdade, os livros não se encomendavam por Internet no mês de Julho e, no primeiro dia de aulas já os tinhamos!!!
Não me lembro de, nesse tempo, já existir a Barata e a Bertrand na Avenida de Roma mas recordo quando ia mais cedo para Lx e, correr para ir ter com a minha prima ao Filipa,...
Aquele cheiro e sabor das castanhas só caracteristico daquele tempo (ainda as castanhas eram boas e baratas...)
aqueles passeios na Guerra passar pela Mexicana, pelo Roma, as lojas, ir a uma papelaria que faz esquina entre a João XXI e a Av. Roma, ainda hoje existe (será a D.José?) tinha, na altura, autocolantes girissimos...
mais à frente já quase a meio da Av. de Roma uma enorme loja com tecidos, se bem me recordo chamava-se PINHEIROS,...

Vou parar mesmo senão escrevo toda a noite
eu não disse?

para o que me havia de dar...


saudades

Mt

BlueVelvet disse...

Xi, mais um post destes e choro.
Também tive isto tudo, mas o doce de tomate em casa de uma avó e a marmelada em casa de outra...
Ah, e era a minha mãe que me forrava os livros e os cadernos com papel que era cuidadosamente escolhido na Progreso, depois de um lauto pequeno-almoço na Ferrari.
Beijinhos menina

Blog Widget by LinkWithin