Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Café da Manhã

Esta veio daqui

Na minha manhã não há nada de novo. O duche, os cremes, a água de colónia e o desodorizante. O cabelo escovado, a roupa, os acessórios. Botas, sempre, calçado obrigatório de Inverno.

Saio para a rua. Sinto o meu próprio cheiro quando o ar fresco da manhã me toca. Inspiro-o porque gosto de o sentir, tal como gosto de sair de casa bem cedo.

Ando. Passo estugado porque o tempo não pára e a vida espera-me. São dois quarteirões. Prédios, pessoas, carros e barulho. Não me incomodam. Na verdade agradam-me. Observo-os a todos, gravando pequenos apontamentos na minha cabeça. Por vezes, fotografo-os. Quando o tempo me dá margem e a máquina não ficou esquecida na correria da saída.

Chego ao destino. Um pequeno café, daqueles que estamos habituados a ver nos filmes. Montras grandes de vidro. Toldo de riscas, fazendo sombra para dentro, para as primeiras filas de mesas. Letras coloridas de vinil, coladas no vidro. Entro e deixo de sentir o meu cheiro. As minhas narinas deliciam-se e deliciam-me com o que me transmitem. O perfume do café. Inebriante. Quente. A lembrar outras paragens, quentes. O perfume dos croissants a saírem do forno. Dourados. Simples. Estaladiços.

Sento-me na mesa do costume. Na montra, com vista para a rua, com vista para todo o interior. Posso observar livremente. Inspirar-me e escrever. Não pensar e escrever. Pouso a mala, tiro o caderno, o lápis e os óculos. Estou pronta para as primeiras linhas da manhã. Sempre as mais difíceis. O meu cérebro acorda nublado para a criação, as minhas mãos enferrujadas e até o lápis parece adormecido. Letra a letra as palavras vão nascendo e vão-se compondo. Alimento-me do perfume que me rodeia, do barulho da loiça nas travessas de inox, das vozes que se entrecortam.

À minha mesa chega uma chávena. Branca. Leite quente e café. Uma gola de espuma deliciosa. Levo-a à boca. Sinto o calor a invadir-me e a confortar-me. Passo a língua no lábio superior que ficou marcado pela espuma...delicioso momento. delicioso café da manhã.

Post inspirado num outro que pode ser lido aqui

7 comentários:

Filoxera disse...

Bom dia, a começar assim...
Beijos.

ines disse...

Hoje foi dia de levantar, tratar e sair de casa com a minha sobrinha de dois anos! Tudo foi diferente

mjf disse...

Olá!
Eu faço um " percurso" parecido, todos os dias...mas de carro ;=(

Beijocas

Brunorix disse...

Poderá haver coisa melhor que uma manhã a começar assim?

Não me parece...

paulofski disse...

A minha manhã é bem mais apressada à conta da habitual preguiça. Até chegar ao meu destino é semelhante pois eu caminho bastante. Entre o marcar do ponto e um bom dia apressado quando dou por mim já estou a trabalhar. O pequeno almoço será tonado um pouco mais tarde.

ps: o link para o rochedo desinspirou-se (risos)

Vekiki disse...

Bem...eu não faço este caminho, nem é esta a minha rotina matinal...é de alguém que inventei e que achei que me saberia bem a mim :)
Quanto ao link para o Rochedo, acho que já está a funcionar :)
Obrigada!!! lol

pensamentosametro disse...

Engraçado Vera, como gostamos tanto de tantas coisas parecidas. Eu também sou pelas manhãs e pelos cheiros e por tantas pequenas coisas que nos fazem sentir tão bem.

Bjos


Tita

Blog Widget by LinkWithin