Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Pessoas, Formas de Estar...

Que foi uma pena que eu não tivesse andado com os meus estudos universitários para a frente. Se calhar foi, mas não penso muito nisso. O que ficou para trás faz parte do passado. Que não desprezo, mas pelo qual também não me sinto perseguida. Está lá, arrumadinho, visito-o quando sinto que devo, mas não amiúde.

Dou por mim a pensar nas pessoas com quem me relaciono, com as características individuais de cada uma, com as características familiares que construíram e nas quais fazem crescer os seus Filhos. Aqui, a riqueza do meu pensamento é enorme. Não porque eu seja um crânio, mas porque os relacionamentos que tenho e gosto de fomentar e preservar me rodeiam de personalidades díspares e de agregados familiares com sinais próprios muito diferentes também. Alguns mais próximos do meu, outros que em nada se parecem com o que tenho vindo a construir, mas todos eles muito importantes para mim, para a minha concepção de como é ser parte de uma comunidade, neste caso uma comunidade não organizada de Pais, Mães e Famílias.

E neste meu convívio (que gosto de manter e sem o qual não saberia viver) vou observando e sorrindo para dentro quando constato que aqueles que parecem ser os mais tradicionais e conservadores têm na sua história de vida e de Família passagens que outros, considerados mais modernos e avançados no tempo, consideram pouco passíveis de pôr em prática no seu quotidiano e organização familiar.

Não deixa de ser interessante. Afinal, o ser mais novo em idade, mais moderno no agir e no parecer, nem sempre é significado de uma maior abertura na educação dos Filhos. E isto não faz de uns melhores do que os outros. Na educação, na Família, ninguém tem o saber absoluto. Todo o saber é relativo e, numa mesma Família, o que funciona para uns é completamente inútil para outros. Tudo isto, faz de nós peças que se vão complementando e que nos fazem aprender uns com os outros num dia a dia de anseios, esperanças e desejos para Filhos que nos enchem os dias...

7 comentários:

Nucha disse...

Consigo muitas vezes rever-me no que escreves e acho graça...pois os sentimentos são muito parecidos...
se te faz sentido, neste contexto, costumo dizer que sou a mãe que consigo ser (como todas mães eu sou a melhor, dos meus filhos!) e a que lhes saiu na rifa!!!!
Um Abraço!

P. disse...

"Na educação, na Família, ninguém tem o saber absoluto. Todo o saber é relativo e, numa mesma Família, o que funciona para uns é completamente inútil para outros."

e ficou tudo dito. mesmo.

tulipa disse...

Um pouquinho atrasada venho dar-lhe os PARABÉNS pelo 1º aniversário do seu blog.

Descobri-a através do Rochedo do Carlos, e vim logo espreitar o seu cantinho que gostei muito.

Bom domingo.
Excelente semana.
Beijinho.

BlueVelvet disse...

Haja tolerância para todos aceitarem as formas diferentes de estar na vida.
Eu sou muito como tu, por isso a visita aqui é obrigatória todos os dias.
Beijinhos

Fatima disse...

Os filhos nascem sem manual de instruções, mas nós aprendemos tanto todos os dias com eles!

mimanora disse...

Tentamos sempre ser o melhor e dar o melhor em formação e educação aos nossos filhos.
Esta é como costumo dizer a profissão mais dificil de todas, não à manula de instruções como diz a Fátima e temos de seguir os nossos instintos e às vezes recordar como os nossos pais nos tentavam educar.
Esse convivio com outras familias é também uma grande ajuda.
Tudo o que nos rodeia pode ajudar-nos a perceber qual o melhor caminho a seguir para criarmos crianças seguras e conscientes!

as velas ardem ate ao fim disse...

Um bjo e boa semana

Blog Widget by LinkWithin