Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Sonho, de Menina

Menina que veio daqui


Deixa-me. Quero ser menina outra vez.
Vestir vestidos e saiotes. Usar laços na cabeça e cabelos compridos aos canudos. Fingir que sou uma princesa e viver num castelo. Grande. Com enormes corredores de pedra onde os passos ecoam e me assustam. Onde existem cozinhas fabulosas. Com tachos, panelas e formas de cobre que são areadas todos os dias e onde o Sol, quando bate, faz colorir todas as paredes de tons vermelhos e dourados. No ar há cheiros deliciosos que se cruzam, que fazem a minha imaginação voar, tentando adivinhar o que vai aparecer na mesa à hora das refeições.

Deixa-me. A seguir vou ser uma fada. Vou ter uma varinha mágica e aparecer de repente sempre que a menina princesa que sou, precise de ajuda. Com a minha varinha que tem uma estrela brilhante na ponta posso mudar a cor das roupas e dos sapatos. Posso arrumar todo o quarto no tempo que dura dizer a palavra "arrumar". A menina princesa terá os seus brinquedos animados com a vida da minha magia e eles não se limitarão a ser brincados. Serão brinquedos com vontade, sempre com vontade de lhe fazer companhia.

Deixa-me.
Vou vestir o meu vestido de bordado inglês branco, pôr uma fita de veludo azul escuro no chapéu de palha e sentar-me no jardim. Levo comigo as folhas brancas e os lápis de côr. Sentada na cadeira de ferro que combina com a mesa, vou desenhar todas as flores que me rodeiam e os passarinhos e borboletas que sobre elas pousam. Quando estou sentada a desenhar sinto-me especial. Gosto de ver nascer no papel as formas que existem a sério. É como transformar o mundo real num faz de conta.

Deixa-me.
A menina princesa está a desenhar e eu tenho que estar atenta. A minha varinha mágica conduz-lhe os lápis coloridos que segura nas mãos. Fica tão contente quando as folhas deixam de ser brancas e se enchem de côr! E à noite? Quando as flores e os passarinhos desenhados se enchem de vida e perfumam e esvoaçam pelo quarto? Ela ri às gargalhadas e eu pisco-lhe o olho no mundo mágico que só nós duas conhecemos.

Deixa-me.
Quero continuar na magia
Não quero saber de crescer...

3 comentários:

Brunorix disse...

É tão bom crescer sem nunca crescer!

Raquel disse...

Era bom se todos nós adultos conservassemos sempre o nosso lado de crianças, seriamos muito mais felizes...Um beijinho

Filoxera disse...

Pois eu acho que cresceste conservando a capacidade de voltar à infância; estou certa?

Blog Widget by LinkWithin