Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

domingo, 3 de maio de 2009

Dia da Mãe, para os Filhos!

Eu e a minha Máquina,
Os meus Filhos no Verão de 2007

Apetece-me subverter as regras do jogo. Hoje é Dia da Mãe e eu vou escrever para os meus Filhos.

Sou Mãe há quase 18 anos. Faltavam dois meses e meio para fazer 26 anos quando fui Mãe pela primeira vez. A vida deixou de ser o que era. Nada voltou a ser igual, a minha forma de ver o Mundo e os outros alterou-se completamente. À medida que os anos foram passando e que as crianças foram tomando conta da minha vida, eu fui crescendo. Tenho a certeza que ser Mãe me fez crescer. Tenho a certeza que ser Mãe a tempo inteiro me tem feito crescer muito bem. Às vezes dizem-me que tenho de me lembrar de que não sou Irmã deles, de que não sou uma Amiga deles. Tenho plena consciência de que sou Mãe, mas também tenho plena consciência da época em que vivo e da forma como quero educar os meus Filhos.

Não quero que os meus Filhos me temam. Quero que me respeitem, que confiem em mim, que saibam que eu estou sempre atenta e que é muito difícil escapar-me qualquer coisa que se relacione com a vida deles. Quero que os meus Filhos saibam que confio neles e que espero que eles saibam sempre usar bem esta confiança. Quero que os meus Filhos se mantenham unidos, sempre, ao longo das suas vidas, independentemente do rumo que cada uma delas levar. Quero que os meus Filhos saibam que existe cansaço nesta opção que tomei mas que muitas vezes penso que não consigo conceber a minha vida sem este cansaço, porque seria incapaz de viver sem Filhos e toda a alegria e trabalheira que representam na minha vida. Quero que os meus Filhos me recordem sempre com alegria, ternura e memórias de dias, meses e anos das suas vidas, bem passados. Quero que sintam o cheiro dos bolos, do pão, dos cozinhados feitos a pensar neles. Quero que os meus Filhos saibam que os ADORO a todos e a cada um. Gosto das suas maneiras de ser, das suas formas de estar na vida, todos tão diferentes uns dos outros mas tão parecidos! Quero que sejam sempre pessoas positivas, trabalhadoras, amigas, simples e solidárias, preocupadas com o que lhes está próximo mas também com todos na generalidade/humanidade.

Sei que não sou, na maior parte das vezes, uma Mãe muito "normal" no sentido convencional de como dever ser e agir uma Mãe. Ainda por cima uma Mãe de quatro Filhos. Mas a minha diferença é a diferença que gosto de ter como assumida. Não sou diferente para dar nas vistas. Sou diferente porque sou assim e porque as Mães de muitos filhos têm tendência para ter uma assumpção da maternidade muito mais solta, muito mais descontraída. Acompanho os meus Filhos em tudo, estou disponível para tudo e o único desejo que quero hoje formular é conseguir ser para os mais Novos a Mãe que tenho sido para os mais Velhos quando a altura deles chegar!

E vocês? Como vivem a vossa maternidade?

8 comentários:

Girafa cor de rosa disse...

Os meus sentimentos acerca da maternidade são semelhantes aos que descreves! Bela partilha a tua neste dia em que se comemora um dia tão belo..beijinhos a ti e aos teus filhotes! Parabéns.

Soraia disse...

quando lá chegar, dir-te-ei :)

Laidita disse...

Tantos e tão lindos! :)

Eu tento fazer do meu filho uma pessoa melhor que eu, independente, com capacidade de pensar e decidir por ele, com vontade própria. Mas ás vezes só me apetece levá-lo ao colo para o poupar. Ser mãe mudou a minha vida, mesmo!

Bjs!

Fatima disse...

Vera é como dizes.
Gostei desta inversão da ideia de post sobre o dia da mãe.
Nem sempre conseguimos manter essa amizade e ligação. Eles crescem e às vezes há uns nós na corda, mas logo se desfazem, e tudo volta ao normal.
É bom ser mãe, e eu já o sou há 26 anos!

vera disse...

Parabens pelos teus lindos filhos, és uma Mãe de mão cheia, e de certeza que não será em vão essa tua dedicação a eles.
Um dia mais tarde verás o resultado e eles irão agradecer por ter tido uma Mãe como tu.

Beijinhos
Vera

Gi disse...

Fui crescendo com eles e deixando-os mais soltos à medida que os via mais fortes para poderem voar.

Nesta altura só espero que a idade adulta lhes traga mias alegrias que tristezas. Tentarei estar disponível quando precisarem de colo.

paulofski disse...

Que filhos tão queriduchos e a mamã tão babadinhs por eles decerto. Bem contentes e orgulhosos pela mãe que têm. Muitos parabéns. Beijinhos.

catarina disse...

:) adoro-te

Blog Widget by LinkWithin