Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Surfar, Apenas Surfar

O Desenho, maravilhoso, é do

Estamos a chegar a meio do mês de Maio. Sinto os miúdos cansados, desejosos pela pausa preguiçosa das férias grandes. Também eu me sinto assim. Este ano lectivo tem sido duro.Quando se tem mais do que um Filho, tem-se tudo o que a cada um deles vem agarrado, em doses diferentes. Posso dizer que me encontro a viver pela primeira vez a fase da adolescência. Quem por ela passou em primeiro lugar cá em casa não deixou que nos apercebessemos disso e agora nem sempre é fácil lidar com a insegurança, o desânimo, a vontade de voltar a ser criança. Para mim, o mais complicado tem sido superar o sofrimento que me provoca o sofrimento deste adolescente. Tão sensível, tão frágil, metido dentro de uma pele de "sou o maior". Nem sempre consigo manter a calma que ele precisa de sentir em mim quando me questiona sobre coisas que o atormentam. Para que servem as disciplinas difíceis que o obrigam a estudar sem parar, e nas quais não consegue obter bons resultados, se a ele só lhe interessa (neste momento) o estado do mar, as ondas que não sobem, o mar que está torto, os treinos a que não tem podido comparecer...
Já perdi a conta às vezes que lhe expliquei que esta é uma fase da vida dele que vai ter de passar, em que as dificuldades são muitas mas não são invencíveis, que tem de se empenhar mesmo mas que se o fizer terá bons resultados. Sinto-o esgotado e a entrar na fase do desânimo. Nunca tive o sonho de poder conhecer o futuro, mas neste momento da minha vida, e dele, gostava de saber o que o futuro lhe reserva para o poder sossegar com segurança, sabendo do que estava a falar.
E penso que este ainda é o 2º, ainda me faltam mais dois. Se por cada um deles sentir as penas que tenho sentido, como vou estar quando chegar ao 4º?
E neste momento, mais do que em muitos outros da minha vida, queria poder(saber) entrar com ele dentro de água e remar, remar, remar, alcançar o ponto onde as ondas são as melhores, onde sabemos que vamos apanhar "aquela" onda que nos vai devolver à areia, cansados, mas felizes. E queria pegar-lhe ao colo, aninhá-lo em mim, enrolá-lo como quando era bébé e garantir-lhe que tudo vai dar certo. Porque ele merece. Porque vai conseguir ter uma profissão que lhe permita surfar, surfar sempre!
(post lamechas, mas que gritava nos meus dedos por ser escrito!)

1 comentário:

OMOPrjct disse...

Também ando ansioso por surfar outra vez...
Só é pena ser tão fraquinho a fazê-lo, mas com prática a coisa vai ao sitio. Sabe tão bem estar no outside, só sentado na prancha a sentir o balanço das ondas pequenas, e a ouvir o silêncio...

Ando ansioso...

Beijinho**
Vasco

Blog Widget by LinkWithin