Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Sintra

Eu e a minha Máquina,
Almoçageme,
Outubro 2010
Sintra tem uma aura.
Não sei bem de onde lhe vem, mas é uma coisa que se sente assim que se ultrapassa o marco que determina o final de um concelho e o início de outro.
O verde que se espraia por montes e encostas, os trilhos abertos por onde deve ser proibido fazer mais do que caminhar, a densidade da folhagem que forma túneis escuros sobre a estrada escura de alcatrão.
Sintra tem uma densidade que se nos cola à pele, como se quisesse dizer-nos qualquer coisa, contar-nos histórias misteriosas e algo assustadoras.
Fazer a estrada Guincho/Almoçageme, e vice-versa, durante dois dias seguidos foi bom. Quem me diria há uns anos atrás que conduzir em sítios difíceis me poderia dar tanto prazer?

2 comentários:

Su. disse...

Amo Sintra... tenho um sonho sabes, comprar uma daquelas casas velhas e mal tratadas e recuperar-lhe o impeto, fazer um pequeno hotel, mas cheio de charme, cheio de estrelas...

:)

Já foste ao café da Natalia?

Beijo.te

Luísa disse...

Também gosto imenso de Sintra. É especial, sem dúvida. Vivi lá uns tempos muito saudosos, em S. Pedro, com a serra a erguer-se do fundo do jardim. :-)

Blog Widget by LinkWithin