Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Desabafo

Não sei se me dão essa importância ou não, mas devem ter reparado que hoje não fiz nenhum post inteligente logo pela manhã e que também quase não escrevi.

Logo de manhãzinha saí de casa furibunda com as minhas quatro crias. Desliguei o rádio do carro e a única "música" que ouviram de casa até aos portões das Escolas foi a de uma Mãe desesperada e pronta a ter um ataque cardíaco de tanta fúria...

Também já desabafei e ouvi conselhos sábios (obrigada!), mas garanto que isto não está fácil.

Eu já estou habituada a que as Mães trabalhadoras me digam que andam cansadas, esgotadas, stressadas, como se eu fosse uma espécie de Fada que entra na vida delas, que tem o condão de as ajudar sempre, de as perceber de um modo quase divino porque eu tenho "uma vida santa".

Também já estou habituada a que ninguém considere esta minha opção de vida como importante...ser dona-de casa...piroso...já não se usa...coitada...não me importo, eu gosto. Penso muitas vezes que fiz a opção certa pelos meus Filhos, pela minha sanidade mental e que se fosse hoje faria o mesmo. Tenho vantagens e desvantagens nesta opção de Vida e a maior desvantagem é a da dependência económica.

Só não consigo habituar-me a que os meus Filhos não compreendam como é duro o meu trabalho. Não consigo habituar-me a que me vejam trabalhar todo o dia (estou em casa há 10 anos, há 10 anos que não tenho férias) todos os dias e não achem que eu preciso de ajuda. Não me habituo à ideia de que eles não percebam que existe uma Vera que também é Mãe. Deles.

Pronto...já está!

Já partilhei o meu silêncio de hoje. Amanhã estarei melhor, com certeza!

5 comentários:

belita disse...

Como te entendo. Noutra perspectiva, também me passo com os estereotipos criados sobre quem não tem filhos: 'deves ter uma vida regalada!!!' é o que me dizem. Por vezes deviam pensar um bocadito antes de abrir a boca para deitar cá para fora estas pérolas...

Ka disse...

Vera,

Eu sou mãe trabalhadora mas precisamente por isso dou muito valor à tua corajosa opção.

Digo corajosa pois o teu trabalho não é reconhecido e deve ser duro.

Sei de muitas mulheres que se tentam comparar e n é susceptivel de comparação. É duro a pessoa estar em casa só, é duro fazer as mesmams tarefas dia após dia. É duro que as pessoas deêm o facto como garantido e deve ser muiiiiito duro não ter férias há 10anos. Mas também tenho a certeza que terás tuas compensações tal como saberes que estar a fazer o melhor pela tua família, certo?

Mas sabes, de certeza absoluta que os teus filhos têm um orgulho imenso em ti e só tentam escapar às obrigações por preguicite e não por acharem que não precisas ou não valorarem o teu trabalho.

Beijinho grande solidário :)

Gi disse...

Eu já estive nessa situação durante 2 anos, por opção, não me queixo, mas prefiro trabalhar, ou então ter bastante dinheiro para os horizontes ficarem mais largos ( foi há 12 anos); agora já seira possível vir para casa e levar uma vida mais folgada e desafogada.
Em relação ao teu trabalho como mãe a tempo inteiro, compreendo-te, mas os filhos só percebem mais tarde.
Os meus 2 rapazes, por acaso, ajudam bastante, mas também pareço um relógio de repetição;
Optei por, em certos casos, os fazer sofrer na pele as consequências de não fazerem e de não se lembrarem de certas coisas do seu pelouro.
Lições que me custaram muito, mas que, a curto, médio e longo prazos frutificaram. :D

Olha, vai ver se descobres o teu link no meu blogue: ahahahah!

Patti disse...

Já sabes o que penso e já tinhamos sobre isso e como te compreendo e apoio.
Qt aos teus filhos não te compreenderem e como também sei que tens uns miúdos fantásticos, terás de lhes fazer compreender tu! E eles só têm de aceitar. Quem mandas és tu e não és super-mulher e muito menos pau para toda a obra.
Quando se chega a um desabafo destes é porque alguma coisa descambou e se inverteram os papéis.
É chegar um dia e dizer: meus meninos....... e depois, se continuarem na mesma, também tu podes deixar de lhes fazer certas e determinadas coisas, porque se calhar já são bem crescidinhos para tomarem mais conta de si. Talvez aí te dêem mais valor.

É difícil ser uma mãe a tempo inteiro e para mais de uma família grande, mas se és tu que acartas com tudo às costas sem ajuda, pouca compreensão e com queixas de insanidade mental, tens de reverter a atenção e virar as coisas a teu favor.

Eu já escrevi um post sobre isso e como lá disse, não acho normal as mães dedicarem-se completamente à família, esquecerem-se delas e só se lembrarem que existem lá para os 60 anos!
Isso não me entra na cabeça.

Acho assim que a resolução do problema com os múdos também passa por ti , não a perpetues! E aí concordo com as atiudes que a GI tomou com os filhos.
Educar passa também por dizer não muitas vezes e castigar outras.

de dentro pra fora.... disse...

De visita para retribuir a tua amavel visita...e não posso concordar mais contigo, até me pareceu por instantes ouvir a minha voz...será que estou a ficar xéxé :))

Volta sempre que queiras, é sempre bom receber caras novas

Blog Widget by LinkWithin