Grafia

A Autora deste Blogue optou por manter na sua escrita a grafia anterior ao Novo Acordo Ortográfico.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Ciúme, sentimento difícil [para quem sente, para quem é objecto dele!]

Ciúme trazido da Internet

ciúme n.m. 1 inveja de alguém que usufrui de uma situação ou de algo que não se possui ou que se desejaria possuir em exclusividade; 2 sentimento de possessividade em relação a algo ou alguém; 3 sentimento gerado pelo desejo de conservar alguém junto de si ou por não conseguir partilhar afectivamente essa pessoa; sentimento gerado pela suspeita da infidelidade de um parceiro [...]

O ciúme, por todas as definições acima enunciadas, é um dos sentimentos humanos mais difíceis de controlar.

Durante a minha infância, graças ao meu feitio ensimesmado, à minha tendência para o isolamento e a dedicação à leitura, sofri deste sentimento em relação ao sucesso que a minha irmã, mais nova do que eu três anos, fazia com todas as pessoas com quem nos relacionávamos. Ela era expansiva, bem disposta, lingrinhas e ágil, uma verdadeira maria-rapaz, o que a tornava mais simpática socialmente. À medida que fui crescendo, este sentimento que era mais de inveja do que propriamente de ciúme, foi-se dissipando e acabou por desaparecer.

Nos meus namoros nunca fui ciumenta, no meu casamento também não. Como se dentro deste tipo de relações a minha auto-confiança fosse tão forte que me protege de qualquer tipo de ciúme. No campo simples, da amizade, a minha auto-confiança esvai-se completamente. Dou por mim a pensar que não sou suficientemente atraente como companhia para uma tarde de conversa ou para um passeio pela cidade. Dou por mim, agora, a ser ciumenta em relação a algumas, poucas, pessoas do meu círculo de amizades. Não é bom. Nem para mim, nem para aqueles de quem tenho ciúmes. Sou crescida e não devia sentir este tipo de sentimentos (passo a cacafonia!).

Hoje, à mesa do lanche, falou-se de relações de amizade e de ciúmes entre amigos. Diziam os miúdos que não conseguiam entender as "birras" e a ciumeira de alguns dos seus amigos. São um grupo que anda junto desde o 1º ano de escolaridade e que está agora a entrar na chamada pré-adolescência. Há miúdos mais "crescidos", miúdos mais "abebezados", miúdos que não estão nem aí para estas confusões e só querem mesmo continuar amigos e a brincar. Expliquei-lhes que ser ciumento é algo que muitas vezes não se consegue controlar e que traz grande sofrimento a quem dele sofre. A eles, os que não sentem ciúme e para quem são normais estas tardes passadas em conjunto sem que haja motivo especial para tal, cabe-lhes não criticarem os amigos ciumentos. Cabe-lhes serem ainda mais Amigos. Explicarem que se juntam porque calhou assim, que estudam, brincam, discutem em conjunto porque são Amigos e serem Amigos em sub-grupos não destrói a Amizade que continua a uni-los e a fazer deles um todo, um Grupo.

Não sei se vão conseguir, mas acredito que alguma coisa do que lhes disse devem reter e se irão lembrar, mesmo que em pequenas doses!

8 comentários:

Su disse...

sentimento dificil, esse.........

jocas maradas

mimanora disse...

Sentimento dificil... os miúdos retêm sempre o mais importante.
Adorei a fotografia!

mimanora disse...

O ciúme é terrível.
As crianças retêm com certeza algo e provavelmente o mais importante.
Adorei a fotografia;)

Anita Catita disse...

Olá,
gostei tanto do teu texto!! E concordo plenamente com o que foi dito aos miudos, agora para quem tem um blog tão interesante e que escreve com tanta simplicidade, não entendo essa insegurança par com os amigos :)

beijinhos

Gi disse...

O título diz tudo.

BlueVelvet disse...

Engraçado escreveres sobre isto.
Eu que nunca fui ciumenta com namorados nem marido, sou e muito com as amigas.
E isso já me tem trazido problemas, mas que hei-de fazer:)
Beijinhos

Gigi disse...

A insegurança que demonstras ao escrever: 'Dou por mim a pensar que não sou suficientemente atraente como companhia para uma tarde de conversa ou para um passeio pela cidade.', também a demonstras muitas vezes nos teus posts. Vejo-te quase sempre demasiado ansiosa em ter visitas e comentários. Acho que devias descontrair. :)
Beijinho

Sandra disse...

Esse ciume (inveja) pela irmã acontece comigo também. Não é voluntário. Eu sinto inveja, mas não é por maldade. Mas sinto-me muito mal com isso.
Será que à medida que eu vou crescedo a inveja passará? parece-me que cada vez é maior :\

Desculpe este pequeno desabafo.

Visite o meu blog: http://nasmaosdomundo.blogspot.com/

Blog Widget by LinkWithin